segunda-feira, 31 de março de 2014

50 ANOS DO GOLPE MILITAR


SEGUNDA FORMAÇÃO DA ASSEMBLEIA DIOCESANA REALIZADA

A Assembleia Diocesana teve mais um capítulo escrito no último domingo, 30/3, com a realização da segunda formação para as lideranças paroquiais, que a exemplo da primeira formação, em fevereiro, também foi realizada no Seminário Bom Pastor, em Cachoeiro de Itapemirim, e desta vez com a condução feita pelos padres João Batista Maroni e Andherson Fraklin Lustoza de Souza.

O objetivo da formação foi passar às lideranças presentes orientações para as Assembleias Comunitárias, que serão realizadas em junho por todas as comunidades da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim.

"A Paróquia deverá ser envolvida em um clima de muita oração nesse tempo de assembleias. Não podemos nos esquecer que o principal protagonista de toda a realização da Igreja é o Espírito Santo de Deus", como destaca uma das orientações passadas pelos padres Maroni e Andherson.

Orientações de cunha técnico também foram repassadas na formação, como por exemplo, quanto a responsabilidade de convocação da assembleia, que fica a cargo de conselho de pastoral comunitário; a necessidade de delegados participantes de estarem cientes de tudo o que é passado, entre outros detalhes.

Já no quesito passos a serem dados para sua realização, as Assembleias Comunitárias deverão elaborar três fotografias: história da comunidade, atual realidade da comunidade e as quatros colunas básicas de uma comunidade eclesial.

As fotografias da história da comunidade e sua realidade atual dizem respeito ao momento histórico: como foi seu início, fatos importantes ocorridos, etc. e como a comunidade está hoje, respectivamente.

As quatro colunas básicas da comunidade eclesial (Palavra de Deus, Comunhão Fraterna, Eucaristia e Oração), serão elucidadas através de um questionário que será entregue, após as celebrações, e deverá ser respondido por todos, por dois domingos.

A formação desse dia 30 de março, foi encerrada com a Missa presidida pelo Pe. Olímpio Andrade Sobrinho, concelebrada pelos padres Antônio Tatagiba Vimercat e João Batista Maroni.

Conforme o cronograma da Assembleia Diocesana, o mês de abril/2014 será dedicado a formação dos membros do CPP (Conselho de Pastoral Paroquial) e equipe paroquial. No mês de maio/2014, serão apresentadas as fotografias das comunidades, história e realidade atual, na primeira quinzena do mês, e na segunda quinzena de maio, as quatro colunas básicas de uma comunidade eclesial, serão apresentadas.

Em junho, a Assembleia Diocesana continuará com a realização das Assembleias Comunitárias. No mês seguinte, julho, será a vez da realização das Assembleias Paroquiais, em setembro as Assembleias Regionais e, por fim, a Assembleia Diocesana, no período de 28 a 30 de novembro, na cidade de Jerônimo Monteiro.

Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim




OS SINOS DO BRASIL VÃO TOCAR POR ANCHIETA DIA 2 DE ABRIL


Brasília (RV) - O Conselho Permanente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convoca todas as Igrejas do país para que toquem os sinos, no dia 2 de abril, às 9h, por ocasião da canonização do Beato José de Anchieta.

Em carta, enviada aos bispos, o bispo auxiliar de Brasília e secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, explica que será um "gesto de alegria, gratidão e comunhão por estar inscrito entre os santos, o Apóstolo do Brasil".

Durante a 52ª Assembleia Geral da CNBB, que acontecerá em Aparecida (SP), será celebrada missa em ação de graças pela canonização do beato, no dia 4 de maio, às 8h, no Santuário Nacional de Aparecida.

Celebrações por onde Anchieta passou

O arcebispo de São Paulo (SP), Cardeal Odilo Pedro Scherer, convidou o clero da arquidiocese para acolher a canonização com manifestações de "júbilo e ação de graças a Deus", pedindo que os sinos toquem, todos juntos, às 14h, por cinco minutos, ao menos. No domingo, dia 6, haverá procissão saindo do Pátio do Colégio, às 10h15, em direção à Catedral da Sé, onde será celebrada missa solene às 11h.

Em Salvador (BA), o arcebispo local e primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, celebrará uma missa, às 18h, na Catedral Basílica.

Na arquidiocese de Vitória do Espírito Santo (ES) haverá missa na catedral metropolitana, às 18h do dia 2, presidida pelo arcebispo local, Dom Luiz Mancilha Vilela. Às 20h, a comunidade Shalom apresenta o musical “Anchieta para todas as tribos”. No domingo, dia 6, duas missas estão marcadas. Às 9h30, na paróquia Beato José de Anchieta, em Serra (ES), e às 16h, no pátio do Santuário de Anchieta (ES).

O arcebispo de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ), Cardeal Orani João Tempesta, presidirá uma missa em ação de graças na Catedral Metropolitana de São Sebastião, no dia 2 de abril, às 18h.

sábado, 29 de março de 2014

REFLEXÃO PARA O 4º DOMINGO DA QUARESMA - ANO A


Cidade do Vaticano - (RV) - A primeira leitura nos diz que Deus não se impressiona com a aparência, seus critérios são outros. Enquanto o homem “vê a aparência, Deus olha o coração”,(conf. I Sam 16, 7). E o coração que agrada a Deus é o dos pequenos, dos humildes. Também nós deveríamos não nos impressionar com a beleza externa das pessoas, mas deixar o Espírito falar e observar a beleza interna.

No Evangelho, o cego é o único dentre a multidão, a reconhecer Jesus como o Messias, como o Redentor, como o Senhor. Sua profissão de fé é feita aos poucos. Primeiro ele pede a cura para sua deficiência visual. Após a cura física, ele vai proclamando que foi Jesus quem o curou. Isso causa problemas com os sacerdotes e ministros religiosos. O cego não tem dúvidas e desafia os poderosos que o expulsam da comunidade.

Ao encontrar Jesus, aquele que fora cego faz sua profissão de fé, ajoelhando-se e proclamando Jesus como Senhor.

A reação do Cristo, diante do confronto do ex-cego com a liderança religiosa e a multidão, faz o registro das duas cegueiras, a física e a espiritual. “Se vocês fossem cegos não teriam pecado. Mas como dizem que enxergam, o seu pecado permanece”, diz para as lideranças. Pecado é permanecer na escravidão de convicções antigas que não libertam, é não procurar a verdade e não se abrir a ela, é não reconhecer em Jesus de Nazaré, a luz que veio ao mundo.

É sobre a luz de Jesus, o texto da Carta de Paulo aos Efésios. Pelo batismo fomos iluminados pela luz de Cristo. Deixemo-nos iluminar por ela. O fruto dessa luz chama-se bondade, justiça, verdade.
A fé é a iluminação que faz ver.

O ser humano corre o risco de fazer escolhas segundo as aparências. O episódio do cego nos confirmou esse risco, quando os mestres da Lei rejeitaram o testemunho dele e o expulsaram. São Paulo falou-nos que Cristo é Luz e ilumina nós, os batizados.

Um antigo hino cristão, usado pelo Apóstolo, encerra nossa reflexão: “Desperta, tu que dormes, levanta-te dentre os mortos e sobre ti Cristo resplandecerá.”

Pe. Cesar Augusto dos Santos, SJ

PAPA CONFIRMA EM SEUS CARGOS OS CARDEAIS BRAZ DE AVIZ, RAVASI E TAURAN


Cidade do Vaticano (RV) – O Papa confirmou, neste sábado, 29, o Cardeal João Braz de Aviz em seu cargo de Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e as Sociedades de Vida Apostólica. Francisco nomeou também vários novos membros para a Congregação e dentre eles, está o Arcebispo de Porto Alegre, Dom Jaime Spengler. 

O Santo Padre confirmou ainda o Presidente do Pontifício Conselho para a Cultura, o cardeal italiano Gianfranco Ravasi, e além de ratificar em seus cargos todos os membros e consultores, nomeou novos, como Dom Joaquim Giovanni Mol Guimarães, Bispo auxiliar de Belo Horizonte, MG. 

Ainda neste sábado, foi anunciada a confirmação em seu cargo de Presidente do Pontifício Conselho para o diálogo Inter-religioso o Cardeal francês Jean Louis Tauran. Francisco também confirmou todos os membros e consultores deste dicastério até a conclusão de seus mandatos.

"COM O PERDÃO O CORAÇÃO RENOVA-SE E REJUVENESCE" - O PAPA FRANCISCO NA CELEBRAÇÃO PENITENCIAL


O Papa Francisco presidiu a uma celebração penitencial no final da tarde desta sexta-feira na Basílica de São Pedro. O Santo Padre confessou alguns fiéis e depois confessou-se com um dos 61 sacerdotes presentes na basílica vaticana. Esta celebração marcou o início da iniciativa "24 horas para o Senhor", promovida pelo Conselho Pontifício para a Promoção da Nova Evangelização. Este grande evento está a decorrer em várias dioceses do mundo durante este sábado.


No decorrer da celebração penitencial o Papa Francisco começou por considerar que no período da Quaresma, a Igreja, em nome de Deus, renova o seu apelo à conversão. É um chamamento para mudar de vida:

Converter-se não é uma questão de um momento ou de um período do ano... é um compromisso que dura toda a vida.

O Papa Francisco citou o Apóstolo João que escreve: “Se dissermos: ‘Não temos pecado’, enganamo-nos a nós mesmos e a verdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, Ele, que é fiel e justo, perdoará os nossos pecados e nos purificará de toda injustiça.” Entra-se, assim, numa vida nova na qual somos chamados a renunciar ao pecado permitindo ver a realidade com olhos diferentes – salientou o Papa Francisco:

Esta vida nova permite-nos ver a realidade com olhos diferentes, sem nos deixar distrair por coisas que não contam nada e que não podem durar no tempo. Por isso, somos chamados a renunciar a comportamentos de pecado e a dirigir os nossos olhos ao essencial.”


O homem vale mais por aquilo que é do que por aquilo que tem’ – disse o Papa citando a Constituição Pastoral ‘Gaudium et Spes’. Eis, assim, a diferença entre a vida deformada pelo pecado e a vida iluminada pela graça:
Do coração do homem renovado por Deus, provêm bons comportamentos: falar sempre a verdade e evitar toda a mentira; não roubar, mas compartilhar aquilo que se tem com os outros, especialmente com quem precisa; não ceder à ira, ao rancor e à vingança, mas ser dócil, generoso e pronto ao perdão; não fazer calúnias que arruínam a fama das pessoas, mas ver mais o lado positivo de cada um. “

O Papa Francisco referiu-se depois ao amor de Jesus Cristo no qual devemos permanecer:

O amor de Jesus Cristo dura para sempre, nunca terá fim, porque é a própria vida de Deus. Este amor vence o pecado e dá a força para nos reerguermos e recomeçar, porque com o perdão, o coração renova-se e rejuvenesce.”

O nosso Pai nunca se cansa de amar e os seus olhos não se cansam de olhar para o caminho para ver se o filho que saiu volta ou perdeu-se – continuou o Santo Padre que afirmou ainda que ‘Deus não está somente na origem do amor, mas, em Jesus Cristo, chama-nos a imitar o seu mesmo modo de amar:“Amai-vos uns aos outros como eu vos amei”.

Na medida em que os cristãos vivem este amor, tornam-se discípulos credíveis de Cristo no mundo. O amor não consegue ficar fechado em si mesmo. É aberto por natureza, difunde-se e é fecundo, gera sempre novo amor.”

Finalmente o Papa Francisco referiu-se à iniciativa “24 horas para o Senhor”, dizendo que muitos serão missionários e proporão a outros a experiência da reconciliação com Deus. “24 horas para o Senhor” uma iniciativa à qual aderiram muitas dioceses, em várias partes do mundo:

A todos os que encontrardes, podereis comunicar a alegria de receber o perdão do Pai e de reencontrar a amizade plena com Ele. E dizer-lhes que o nosso Pai espera-nos, o nosso Pai perdoa-nos e mais ainda, faz festa.”


Fonte: Site da Rádio Vaticano

sexta-feira, 28 de março de 2014

REUNIÃO DO CONSELHO PASTORAL DIOCESANO


Nesse sábado, 29/3/2014, acontecerá a reunião do Conselho Pastoral Diocesano - CPD, sendo a primeira reunião deste ano.

A reunião será realizada no Seminário Bom Pastor, na cidade de Cachoeiro de Itapemirim - sede da Sé Episcopal, no horário das 9 às 13h

Os membros do CPD estão convidados a estarem presentes nessa reunião.

Fonte: Site Oficial da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim

PEREGRINAÇÃO NACIONAL DAS FAMÍLIAS AO SANTUÁRIO NACIONAL DE NOSSA SENHORA APARECIDA


A Pastoral Familiar da Paróquia Nossa Senhora da Consolação participará da 6ª Peregrinação Nacional das Famílias ao Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, na cidade de Aparecida, Estado de São Paulo, junto com a Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, e se organiza para sair com 1 (um) ônibus da Igreja/Matriz de Nossa Senhora da Consolação no dia 23 de maio de 2014 com retorno no dia 25 de maio de 2014.

Caso você tenha interesse em participar dessa Peregrinação Nacional das Famílias à Casa da Mãe Aparecida, entre em contato com a secretaria paroquial pelo telefone: 28 3522-6607 (falar com Dalvana ou Marta).

VIA SACRA


Hoje, 28/3/2014, às 18h10, acontece no Santuário Nossa Senhora da Consolação, a celebração da Via Sacra, como tem sido realizada em todas as sextas-ferias, durante o período da Quaresma, tendo como reflexão a Campanha da Fraternidade 2014: Fraternidade e o Tráfico Humano.

Venha rezar conosco!

"24 HORAS PARA O SENHOR": A FESTA DO PERDÃO COMEÇA HOJE


Cidade do Vaticano (RV) – Com uma celebração penitencial presidida pelo Papa Francisco, na Basílica de São Pedro, começa na tarde desta sexta-feira, 28, a iniciativa “24 horas para o Senhor”. Na cerimônia, o Papa vai confessar pessoalmente alguns fiéis.

Três igrejas do centro de Roma ficarão abertas durante toda a noite para orações e confissões. “Será uma festa do perdão à qual vão aderir dioceses e paróquias do mundo todo”, disse Francisco, no último domingo.

Jovens pertencentes a várias realidades eclesiais serão “os novos evangelizadores” de seus coetâneos, convidando-os a entrar nas igrejas, onde padres estarão à disposição para quem quiser se confessar. Sábado, às 17h, na igreja de Santo Spirito in Sassia, Dom Rino Fisichella celebrará as vésperas do IV Domingo de Quaresma, encerrando a iniciativa. O Pontifício Conselho para a Nova Evangelização é o promotor das “24 horas para o Senhor”. 

A Rádio Vaticano transmite ao vivo, da Basílica de São Pedro, a celebração penitencial de abertura da iniciativa, a partir das 16h50 (12h50 no horário de Brasília), com comentários em português. Padre José Raimundo dos Santos, da Diocese de Amargosa, na Bahia, é estudante em Roma e colabora com o Programa Brasileiro. Ele nos esclarece sobre o significado desta celebração. 

quinta-feira, 27 de março de 2014

DESCONTRAÇÃO MARCA ENCONTRO ENTRE O PAPA E OBAMA


Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco recebeu em audiência esta manhã, no Vaticano, o Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Tratou-se do primeiro encontro entre os dois. Em julho de 2009, Obama foi recebido no Vaticano por Bento XVI.

Um forte esquema de segurança marcou a visita do Presidente dos Estados Unidos. Barack Obama chegou escoltado por um cortejo de mais de 50 carros, com a bordo dezenas de agentes das forças especiais. No pátio de S. Damaso, ele foi acolhido pelo Prefeito da Casa Pontifícia, Dom Georg Ganswein, com um piquete da Guarda Suíça.

O Papa acolheu seu hóspede com um “welcome” (bem-vindo), ao qual Obama respondeu que é uma grande honra encontra-lo, já que é um grande admirador de Francisco, agradecendo a audiência. A seguir, foi a vez do colóquio privado a portas fechadas, com dois intérpretes, que durou cerca de 50 minutos.

Sobre o conteúdo do colóquio, aguarda-se o comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé. 

Depois das fotos oficiais, houve a troca de presentes. Francisco presenteou seu hóspede com uma cópia da sua Exortação “Evangelii Gaudium” – que Obama disse que “provavelmente” lerá no Salão Oval, quando se sentirá frustrado, encontrando no texto força e calma. 

Já o Papa ganhou uma caixa com sementes de frutas e verduras provenientes da horta da Casa Branca. “Uma parte das sementes é para o senhor. A outra parte será doada como obra de caridade em homenagem a Sua Santidade. Se tiver a oportunidade de vir à Casa Branca, poderá visitar o jardim”, disse Obama a Francisco, que respondeu: “Por que não?".

PAPA AOS POLÍTICOS: "PECADORES SERÃO PERDOADOS, CORRUPTOS NÃO"


Cidade do Vaticano (RV) – Cerca de 500 políticos, entre deputados, senadores e ministros do governo italiano participaram, às 7h desta quinta-feira, da missa celebrada pelo Papa Francisco no Altar da Cátedra da Basílica de São Pedro. 

Os Presidentes da Câmara e do Senado, Laura Boldrini e Pietro Grasso, lideraram o grupo. O convite foi feito no início de fevereiro pelo capelão de Montecitorio (sede do Governo), Mons. Lorenzo Leuzzi, “atendendo a desejo do Papa de acolher os pedidos de muitos parlamentares que queriam participar de sua missa da manhã”. 

Em sua homilia, Francisco lembrou que nos tempos de Jesus, a classe dirigente havia se afastado do povo, o havia ‘abandonado’ por ser corrupta e incapaz de enxergar além de sua ideologia. 

Interesses partidários e lutas internas: nisso pensavam aqueles que comandavam, ao ponto que quando Messias apareceu diante deles, não o reconheceram e o acusaram de ser um curandeiro do bando de Satanás”.

Na primeira leitura, extraída do livro de Jeremias, o profeta narra o “lamento de Deus” por uma geração que não lhe prestou ouvidos e que se justificava por seus pecados, dando-lhe as costas. “Esta é a dor do Senhor, a dor de Deus”, disse o Papa.

O coração daquelas pessoas com o tempo se endureceu tanto que ficou impossível ouvirem a voz do Senhor. É muito difícil um corrupto voltar atrás. Os pecadores sim, porque o Senhor é misericordioso e os espera, mas os corruptos ficam presos em suas coisas; e por isso, se justificam”.

Estas pessoas, prosseguiu o Papa, “erraram o caminho”, fizeram resistência à salvação de amor do Senhor e acabaram se desviando da fé. 

Os fariseus recusaram o amor do Senhor e esta negação os levou a um caminho que não era o da dialética da liberdade que o Senhor oferecia, mas o da lógica da necessidade, onde não há lugar para o Senhor. Na dialética da liberdade, existe o Senhor bom, que nos ama tanto! Ao contrário, na lógica da necessidade não há lugar para Deus: a ordem é ‘fazer’, ‘dever’... é uma ordem comportamental: são homens de boas maneiras, mas de péssimos costumes”. 

A Quaresma, concluiu Francisco, nos lembra que “Deus ama todos” e que “devemos fazer o esforço de nos abrir a Ele”: 

Fará bem a todos nós pensar no convite do Senhor ao amor e nos questionarmos se estamos caminhando neste sentido, ou estamos ‘correndo o risco de nos justificar e escolhermos outro caminho?’ Rezemos ao Senhor para que nos dê a graça de optar sempre pela estrada da salvação, que nos abra à salvação que vem somente de Deus e da fé, e não das propostas dos ‘doutores do dever’ que perderam a fé e regiam o povo com a teologia pastoral do dever”.

Desde que tomou posse, em 22 de fevereiro passado, o Governo do jovem premiê Matteo Renzi tem recebido encorajamentos do Vaticano: o Cardeal Secretário de Estado, Dom Pietro Parolin, fez votos de que Renzi consiga realizar as reformas estruturais necessárias ao país, tendo como prioridade a questão do trabalho e as famílias. 


quarta-feira, 26 de março de 2014

AUDIÊNCIA: O SACERDOTE DEVE ALIMENTAR SEU MINISTÉRIO PARA NÃO SE TORNAR MEDÍOCRE


Cidade do Vaticano (RV) – Mais de 60 mil pessoas lotaram a Praça S. Pedro esta quarta-feira para a Audiência Geral com o Papa Francisco.

Sob garoa, o Pontífice fez o giro da Praça de papamóvel para receber e retribuir o carinho dos fiéis. Prosseguindo suas reflexões sobre os Sacramentos, o Pontífice dedicou sua catequese ao Sacramento da Ordem.

A Ordem, explicou Francisco, é o Sacramento que habilita ao exercício do ministério confiado por Jesus aos Apóstolos de apascentar com amor o seu rebanho, compreendendo três graus: episcopado, presbiterado e diaconato. Nesse sentido, os ministros que são escolhidos e consagrados para este serviço prolongam no tempo a presença e a ação do único verdadeiro Mestre e Pastor, que é Cristo.

Na verdade, o ministro ordenado é posto à frente da comunidade, mas este ato deve ser entendido como serviço: “Quem no meio de vós quiser ser o primeiro – ensinou Jesus – seja vosso servo”: 

Em virtude da Ordem, o ministro dedica-se inteiramente à própria comunidade e ama-a com todo o seu coração: é a sua família. O bispo, o sacerdote amam a Igreja em suas comunidades e a amam fortemente. Como? Como Cristo ama a Igreja. O mesmo dirá S. Paulo do matrimônio: o esposo ama sua esposa, assim como Cristo ama a Igreja. É um mistério grande de amor. Os dois sacramentos, do ministério e do matrimônio, são o caminho pelo qual as pessoas habitualmente vão ao Senhor. 

Por isso, o apóstolo Paulo recomenda ao seu discípulo Timóteo que não se canse de reavivar o dom que está nele, recebido pela imposição das mãos. Quando não se alimenta o ministério com a oração e também com o Sacramento da Penitência – advertiu o Pontífice - acaba-se por perder de vista, inevitavelmente, o sentido autêntico do próprio serviço:

O bispo ou o sacerdote que não reza, que não ouve a Palavra de Deus, que não celebra todos os dias, que não se confessa regularmente, acaba por perder a união com Jesus e se torna uma mediocridade que não faz bem à Igreja. 

Por isso, devemos ajudar os bispos, os sacerdotes nesta direção, disse o Papa, que concluiu dirigindo-se aos que querem se tornar sacerdotes: 

Não se vendem bilhetes de entrada. Trata-se de uma iniciativa que toma o Senhor. O Senhor chama, chama cada um que quer que se torne sacerdote. (...) Quem sentiu a vontade de se tornar sacerdote, de servir os outros, de estar toda a vida a serviço para catequizar, batizar, perdoar, celebrar a Eucaristia, cuidar dos doentes... Se algum de vocês sentiu isso no coração, foi Jesus quem colocou. Cultivem este convite e rezem para que ele cresça e dê o fruto em toda a Igreja.

DIOCESE DE CORNÉLIO PROCÓPIO (PR) TEM NOVO BISPO


Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco aceitou a renúncia ao governo pastoral da Diocese de Cornélio Procópio (PR), apresentada por Dom Getúlio Teixeira Guimarães, S.V.D., por motivos de idade.

O Santo Padre nomeou Bispo de Cornélio Procópio Dom Manoel João Francisco, até então Bispo de Chapecó (SC).

Dom Francisco nasceu em Navegantes, na Arquidiocese de Florianópolis (Santa Catarina), em 5 de setembro de 1946. Depois dos cursos preparatórios realizados no Seminário Menor de Brusque, frequentou o Curso de Filosofia na Universidade Federal de Curitiba e o de Teologia em Curitiba e em Roma, na Pontifícia Universidade Gregoriana. Além disso, fez Mestrado e Doutorado em Sagrada Liturgia no Pontifício Ateneu Santo Anselmo. Em 8 de dezembro de 1973 recebeu a ordenação sacerdotal na sua cidade natal e foi incardinado no clero de Florianópolis.

No decorrer do ministério sacerdotal, desempenhou os seguintes cargos: Vice-Pároco e Pároco em várias paróquias; Professor de Teologia em Florianópolis e em outras cidades; Diretor do ITESC – Instituto Teológico de Santa Catarina – e Coordenador da pastoral ecumênica da Arquidiocese.

Em 28 de outubro de 1998 foi nomeado Bispo de Chapecó, recebendo a ordenação episcopal em 21 de fevereiro de 1999. 

FAMÍLIAS DO MUNDO RUMO A FILADÉLFIA 2015


Cidade do Vaticano (RV) – Foi apresentado à imprensa nesta terça-feira, 25, o VIII Encontro Mundial das Famílias, marcado para 22 a 27 de setembro de 2015, na cidade estadunidense de Filadélfia. Na Sala de Imprensa da Santa Sé, o Arcebispo Charles Chaput, e o Presidente do Pontifício Conselho para a Família, Arcebispo Vincenzo Paglia, ilustraram aos jornalistas os temas e objetivos principais do evento.

Aguardando a confirmação da presença do Papa Francisco, Dom Chaput adiantou que a cidade estará pronta para receber famílias de toda a América, do Alasca à Terra do Fogo, e de outros continentes e culturas: “O EMF em Filadélfia quer ser um dom para todas as pessoas de boa vontade; quem quer que tenha um coração generoso será bem-vindo”. O arcebispo abriu o convite às famílias de outras confissões cristãs e também de outras religiões, e a este propósito, anunciou que a catequese preparatória será elaborada levando em conta esta participação. 

O anfitrião do Encontro citou dois grandes santos nativos de sua arquidiocese: Katharine Drexel, religiosa que dedicou a vida aos afro-americanos e índios da América do Norte, e o Bispo John Newmann, que criando escolas paroquiais, ajudou as famílias de imigrantes pobres a educarem seus filhos. 

“A Igreja de Filadélfia – admitiu – precisa de uma grande renovação para superar a crise dos abusos sexuais ocorridos na última década, e neste sentido, tem o dever de ajudar as vítimas e suas famílias a recuperarem sua fé com alegria e convicção, além de proteger as crianças e os jovens nos anos futuros”, reiterou.

O representante do Vaticano, Dom Vicenzo Paglia, falou da necessidade de inteligência ao interpretar a família de hoje: “É preciso coragem para enfrentar seus problemas e amor para tentar resolvê-los, tendo sempre presente o Evangelho da família e da vida”. 

O arcebispo defendeu uma teologia da família que toque especificamente questões da espiritualidade e da santidade conjugal; eclesiologia e pastoral da família; família e relação com a cultura contemporânea; família e migrações; família e ecumenismo, pobreza, deficiências e Criação.

O evento de Filadélfia acontecerá num momento “particularmente importante para a vida da Igreja”, completou Dom Paglia. “O Papa coloca a Família no centro da atenção de toda a Igreja”, apontou, citando o Consistório de fevereiro, o Sínodo programado para outubro sobre “Os desafios pastorais sobre a família no contexto da evangelização”. Em outubro de 2015, enfim, haverá a Assembleia Geral do Sínodo dos Bispos, também sobre a família. 

A coletiva teve a presença do Prefeito de Filadélfia, Michael Nutter, e do Governador do Estado da Pensilvânia, Tom Corbett.

terça-feira, 25 de março de 2014

BLOG DO SETOR JUVENTUDE CONSOLAÇÃO


Os jovens da Paróquia Nossa Senhora da Consolação criaram um blog para divulgação dos trabalhos realizados pela Pastoral da Juventude Paroquial, além de comunicados e formações para os jovens que navegam pela internet.


O Blog ainda está em fase de construção.

AUDIÊNCIA PÚBLICA


FRANCISCO: O SENHOR CAMINHA CONOSCO PARA AMACIAR O NOSSO CORAÇÃO


Cidade do Vaticano (RV) - O Senhor caminha conosco para amaciar o nosso coração. Foi o que afirmou o Papa Francisco na Missa, nesta manhã de terça-feira, na Casa Santa Marta. Na Solenidade de hoje da Anunciação, o Papa destacou que somente com um coração humilde como o de Maria, podemos nos aproximar de Deus. A salvação, observou em seguida, não se compra e não se vende: se doa. 

Para onde leva o orgulho do coração? Papa Francisco desenvolveu a sua homilia, concentrando-se em Adão e Eva que, cedendo à sedução de Satanás, acreditaram ser como Deus. Aquele “orgulho suficiente” faz com eles sejam expulsos do Paraíso. Mas o Senhor não os deixa caminhar sozinhos, faz a eles uma promessa de redenção e caminha com eles. “O Senhor - disse ainda o Papa - acompanhou a humanidade neste longo caminho. Fez dela um povo. Estava com eles”. E aquele “caminho que teve início com uma desobediência, termina com uma obediência”, com o sim de Maria no Anúncio do anjo. “O nó que Eva fez com a sua desobediência - disse recordando Santo Irineu de Lyon - foi dissolvido por Maria com a sua obediência”. É um caminho, acrescentou, “no qual as maravilhas de Deus se multiplicam”:

“O Senhor caminha com seu povo. E por que caminhava com o seu povo, com tanta ternura? Para amaciar o nosso coração. Explicitamente Ele diz: ‘Eu vou fazer do seu coração de pedra um coração de carne’. Amaciar o nosso coração para receber a promessa que ele havia feito no Paraíso. Através de um homem entrou o pecado, e através de outro homem chega a salvação. E este caminho tão longo ajudou todos nós a termos um coração mais humano, mais próximo de Deus, não tão orgulhoso, não tão suficiente”.

E hoje, continuou, a liturgia nos fala “desta etapa no caminho de restauração”, “nos fala de obediência, de docilidade à Palavra de Deus”: 

“A salvação não se compra, não se vende: se doa. É grátis. Nós não podemos nos salvar sozinhos: a salvação é um dom, totalmente gratuito. Não se compra com o sangue nem de touros nem de cabras: não se pode comprar. Para entrar em nós esta salvação somente pede um coração humilde, um coração dócil, um coração obediente. Como o de Maria. E, o modelo deste caminho de salvação é o mesmo Deus, Seu filho, que não se apegou a um direito inalienável, ser igual a Deus, Paulo o diz”.

O Papa colocou ênfase no “caminho de humildade, de humilhação”. Isso, disse ele, “significa simplesmente dizer: Eu sou homem, eu sou mulher e Tu és Deus, e ir adiante, à presença de Deus”, “na obediência, na docilidade de coração”. E por isso, exortou o Papa na Solenidade da Anunciação, “vamos fazer festa: a festa deste caminho, de uma mãe para outra mãe, de um pai para outro pai”: 

“Hoje podemos abraçar o Pai que, graças ao sangue de Seu Filho, se tornou como um de nós, nos salva. Este pai está esperando por nós todos os dias ... Vamos olhar para o ícone de Eva e Adão, olhar para o ícone de Maria e Jesus, olhar para o caminho da História com Deus que caminhava com o seu povo. E vamos dizer: ‘Obrigado. Obrigado, Senhor, porque hoje Tu dizes a nós que nos doaste a salvação’. Hoje é um dia para dar graças ao Senhor”.(SP)

segunda-feira, 24 de março de 2014

RETIRO PARA CASAIS

A Paróquia Nosso Senhor dos Passos realizará por meio do Ministério para as Famílias da Renovação Carismática Católica o retiro voltado para casais e convidam os casais da cidade de Cachoeiro de Itapemirim a participarem.


PAPA FRANCISCO: DEUS NOS SALVA NOS NOSSOS ERROS, NÃO NAS NOSSAS CERTEZAS"


Cidade do Vaticano (RV) – Como todas as manhãs, o Papa Francisco presidiu à Missa na capela de sua residência, na Casa Santa. Em sua homilia, o Pontífice falou do “drama” de cumprir os mandamentos sem fé.

Em sua reflexão, o Papa comentou as palavras de Jesus dirigidas aos seus conterrâneos, os habitantes de Nazaré, junto aos quais não pôde fazer milagres porque eles “não tinham fé”. Ao dizer “nenhum profeta é bem recebido em sua pátria”, Jesus citou dois episódios bíblicos: o milagre da cura da lepra do sírio Naamã, no tempo do profeta Eliseu, e o encontro do profeta Elias com a viúva de Sarepta de Sidônia, que foi salva da penúria. “Os leprosos e as viúvas – explicou Francisco – eram marginalizados naquele tempo”. E mesmo assim, esses dois marginalizados, acolhendo os profetas, foram salvos. Já os nazarenos não aceitam Jesus, porque eles estavam muito seguros de sua fé e não precisavam de outra salvação: 

É o drama de observar os mandamentos sem fé: 'Eu me salvo sozinho, porque vou à sinagoga todos os sábados, procuro cumprir os mandamentos, mas não venham me dizer que o leproso e a viúva eram melhores do que eu!'. Eles eram marginalizados! E Jesus nos disse: ‘Mas, olhe, se você não se marginalizar, não se colocar à margem, não será salvo’. Esta é a humildade, o caminho da humildade: sentir-se tão marginalizado a ponto de precisar da salvação do Senhor. Somente Ele salva, não o nosso cumprimento dos preceitos. Os nazarenos não gostaram disso, se enfureceram e queriam matá-lo. 

A mesma fúria – comentou o Papa – atinge inicialmente também Naamã, porque considera ridículo e humilhante o convite de Eliseu de banhar-se sete vezes no rio Jordão para ser curado da lepra. O Senhor lhe pede um gesto de humildade, de obediência como o de uma criança, mas ele não aceita. Depois, convencido pelos seus servos, volta e faz o que disse o profeta. “É esta a mensagem de hoje, nesta terceira semana de Quaresma”, afirmou o Pontífice: “Se quisermos ser salvos, devemos escolher a estrada da humildade”: 

Maria no seu Cântico não diz que está contente porque Deus viu a sua virgindade, a sua bondade e a sua doçura, tantas virtudes que ela tinha. Não. Mas porque o Senhor viu a humildade da sua serva, a sua pequenez, a humildade. É isso que o Senhor vê. E devemos aprender esta sabedoria de marginalizar-nos, para que o Senhor nos encontre. Não nos encontrará no centro das nossas certezas, não. O Senhor não vai ali. Ele nos encontrará na marginalização, nos nossos pecados, nos nossos erros, nas nossas necessidades de sermos curados espiritualmente, de sermos salvos; ali o Senhor nos encontrará. 

“E este – reiterou o Papa – é o caminho da humildade”:

A humildade cristã não é a virtude de dizer: ‘Mas, eu não sirvo para nada’ e esconder a soberba ali, não, não! A humildade cristã é dizer a verdade: ‘Sou pecador, sou pecadora’. Dizer a verdade: esta é a nossa verdade. Mas há outra: Deus nos salva. Mas nos salva lá, quando estamos marginalizados; não nos salva na nossa segurança. Peçamos a graça de ter esta sabedoria de marginalizar-nos, a graça da humildade para receber a salvação do Senhor.

FRANCISCO AOS AGENTE DE SAÚDE: "NÃO ESQUECER DA CARNE DE CRISTO NOS SOFREDORES"


Cidade do Vaticano (RV) – O Papa Francisco recebeu esta manhã, no Vaticano, os cerca de 80 participantes da Plenária do Pontifício Conselho da Pastoral para os Agentes de Saúde.

Este ano, o tema da Plenária foi inspirado num trecho da Carta Apostólica Salvifici doloris, do Beato João Paulo II: “fazer bem com o sofrimento e fazer bem a quem sofre” (n. 30).

Essas palavras, disse Francisco, João Paulo II as viveu e as testemunhou de maneira exemplar. “O seu foi um magistério vivente, que o Povo de Deus retribuiu com tanto afeto e tanta veneração, reconhecendo que Deus estava com ele.”

De fato, acrescentou o Pontífice, no sofrimento ninguém está só, porque Deus no seu amor misericordioso pelo homem e pelo mundo abraça inclusive as situações mais desumanas, nas quais a imagem do Criador presente em cada pessoa parece ofuscada ou desfigurada – como foi o caso de Jesus. A Paixão de Cristo, disse Francisco, é a maior escola para quem quer se dedicar a serviço dos irmãos doentes e sofredores.

O Papa citou ainda Maria como modelo para quem tem a missão de cuidar dos outros, recordando que no dia 25 de março a Igreja celebra a Solenidade da Anunciação do Senhor. “Foi Ela quem acolheu “a Vida” em nome de todos e em benefícios de todos”, disse. 

Para o Pontífice, a experiência da compartilha fraterna com quem sofre nos abre à verdadeira beleza da vida humana, que compreende a sua fragilidade. E exortou: “Na proteção e na promoção da vida, em qualquer fase e condição se encontre, possamos reconhecer a dignidade e o valor de cada ser humano, da concepção até a morte”. 

Francisco concluiu: “Queridos amigos, no desempenho cotidiano do nosso serviço, tenhamos sempre presente a carne de Cristo nos pobres, nos sofredores, nas crianças, mesmo as indesejadas, nas pessoas com problemas físicos e psíquicos e nos idosos”.

CELEBRAÇÃO DA POSSE CANÔNICA DE FREI AGOSTINHO MOROSINI, O.A.R. COMO PÁROCO

Aconteceu no domingo, 23 de março de 2014, a Celebração Eucarística na qual tomou posse canônica no ofício de Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Consolação o Reverendíssimo Padre Frei Agostinho Morosini, O.A.R., a posse foi dada pelo Vigário Geral da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim o Reverendíssimo Padre Antônio Tatagiba Vimercati, do clero diocesano, delegado pelo bispo diocesano para tal feito.

Concelebram a Eucaristia o pároco Frei Agostinho Morosini, O.A.R. e o Vigário Paroquial Frei Enéas Berilli, O.A.R., estiveram presentes os diáconos permanentes e residentes no território paroquial: Ary de Paula Nascimento, José Carlos Zóboli, Pedro Guarino e Sérgio Sechin; diáconos transitórios: Frei Ricardo, O.A.R, que está a serviço da Igreja na Paróquia Nossa Senhora da Penha, na cidade de Castelo (ES) e Frei Sérgio Sambl, O.A.R., que, agora, passará a servir a Igreja, na Paróquia Nossa Senhora da Consolação e o diácono permanente, que reside no território da Paróquia São João Batista, cidade de Muqui: Bernardino.

O Santuário de Nossa Senhora da Consolação estava repleto de fiéis, com a representação de todas as Comunidades Eclesiais de Base que formam a Paróquia Nossa Senhora da Consolação; fiéis da Paróquia São João Batista, da cidade de Muqui; demais fiéis de outras paróquias da cidade de Cachoeiro de Itapemirim e a presença belíssima de religiosas e religiosos no meio do Povo de Deus.

Na homilia Padre Antônio Tatagiba Vimercati explanou sobre a água viva que Jesus Cristo tem para cada um de nós, que estamos sedentos por Deus, para tanto utilizou-se da mulher Samaritana, da forma como Jesus obteve um diálogo edificador com aquela mulher e como elevou-a à dignidade de pessoa humana. Ela que queria uma água que logo sentiria novamente sede e da água que Jesus possui de forma abundante para toda humanidade.
O Vigário Geral da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim, também, em sua homilia, lembrou ao novo pároco sobre as funções deste na condução dos trabalhos pastorais da Paróquia, auxiliados por todos os paroquianos, tendo como suporte o Documento de Aparecida.

Ao término da celebração houve as boas-vindas da Coordenadora do Conselho de Pastoral Paroquial - Sra. Sirley e a fala de agradecimento e apresentação do novo pároco, assim como, o novo pároco apresentou o Frei Sérgio Sambl, O.A.R. que passará a trabalhar na Paróquia Nossa Senhora da Consolação e agradeceu o trabalho pastoral desenvolvido por Frei Domingos Sérgio Gusson, enquanto sua permanência à frente da paróquia.

No salão paroquial foi oferecido a todos os presentes na posse uma recepção salgados e refrigerantes, que foram preparados com muito carinhos pelas meninas da cantina, que trabalharam muito no final de semana que aconteceu a posse de Frei Agostinho.

Aqui, externamos os sinceros agradecimentos a todos que trabalharam para realização da Posse de Frei Agostinho: Secretárias Paroquiais (Dalvana e Marta), Coordenadora do CPP, Coordenadores dos CPC's, Coordenadores Paroquiais das Pastorais e Movimentos e tantas outras que exerceram suas atividades com muito amor.

Que Nossa Senhora da Consolação abençoe a todos.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolação



domingo, 23 de março de 2014

ALMOÇO DE CONFRATERNIZAÇÃO DO CPP

Aconteceu no início da tarde deste domingo, 23 de maio de 2014, o almoço de confraternização do Conselho de Pastoral Paroquial (CPP) da Paróquia Nossa Senhora da Consolação com o novo Pároco Frei Agostinho Morosini, O.A.R., a fim de estreitar os laços de amizade entre o pároco e os agentes de pastorais, com os quais passará a ter um maior contato.

Agradecemos, penhoradamente, às meninas da cantina que desde a tarde do sábado (22/3) prepararam o delicioso almoço, os membros das diversas pastorais que ajudaram na arrumação do salão, às secretárias Dalvana e Marta, que estão sempre atentas nesses momentos festivos e aos frades agostinianos recoletos: Agostinho Morosini, Sérgio Sambl, João Constantino e Enéas Berilli.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao




PARABÉNS FREI NICOLÁS!

Neste 3º Domingo da Quaresma, 23 de março de 2014, o calendário da Província de Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos recorda o aniversário natalício de 58 anos de idade do Padre Prior Provincial Frei Nicolás Pérez-Aradros Rubio, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação roga a Deus que continue a abençoá-lo com ricas bênçãos de saúde e sabedoria, principalmente, no serviço de administrar a Província Santa Rita de Cássia.

Frei Nicolás Pérez-Aradros Rubio, O.A.R., atualmente, é o Prior Provincial da Província Santa Rita de Cássia e reside na Casa Provincial anexa à Paróquia São José, na cidade de Ribeirão Preto (SP).

sábado, 22 de março de 2014

REFLEXÃO PARA O 3º DOMINGO DA QUARESMA - ANO A


Cidade do Vaticano (RV) - Em nossa vida, quando tudo vai de acordo com os nossos desejos, ficamos alegres, contentes e cordatos. Mas basta acontecer algo que não estava planejado, ou melhor, faltar algo com que contávamos, para que nossa alegria desapareça e comecemos a duvidar de tudo, inclusive daquela pessoa que proporcionou e continua nos proporcionando esses bens. Assim aconteceu com o povo judeu após a libertação do Egito. 

Enquanto caminhavam rumo à terra prometida, a água veio a faltar. A reação foi tamanha que esqueceram as maravilhas que o Senhor havia operado em favor deles e até chegaram a desconfiar da fidelidade de Deus. Apesar dessa atitude, o Senhor continuou fazendo o bem ao povo e providenciou a água.

Podemos neste momento, fazer um exame de consciência de nossa vida. O Senhor nos deu a vida, nos alimenta, nos deu família, saúde e uma infinidade de bens, sejam espirituais ou materiais. Qual o nosso comportamento quando algo nos falta? Continuamos a nos sentir o centro do amor de Deus, ou nos esquecemos tudo o que Ele nos presenteou e só estamos atentos àquilo que nos falta?

No Evangelho, a samaritana vai atrás da água para matar sua sede. Jesus, também. É meio-dia!

Lembremo-nos que alguns meses mais adiante, nessa mesma hora, Jesus dirá que tem sede. Será do alto da cruz.

A samaritana escutando Jesus, diz desejar da água que ele lhe oferece, para que todas as suas necessidades sejam saciadas e ela não precise mais vir ao poço. Jesus continua a conversa e a samaritana, entendendo sua proposta, dá um salto qualitativo e deseja a água viva, aquela que irá aplacar não seus desejos limitados, mas a que irá saciar seus desejos de eternidade. Ele fala da nova vida que nos dará através de sua morte e ressurreição, assumida por nós nas águas batismais.

São Paulo, em sua carta aos Romanos, nos diz que a saciedade que ansiamos é um dom de Deus, já usufuruído aqui nesta vida, é o dom do Espírito Santo, o Amor de Deus derramado em nossos corações. Essa é a água que nos sacia, sem a qual não poderemos viver.

Pe. César Augusto dos Santos SJ

Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2014/03/22/reflex%C3%A3o_para_o_iii_domingo_da_quaresma/bra-783814 do site da Rádio Vaticano 

PARABÉNS FREI CASSIANO!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos, neste dia, 22 de março de 2014, recorda os 56 anos de ordenação presbiteral de Frei Cassiano de Amorim, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação congratula-se com esse sacerdote e roga a Deus que cumule sua vida de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei Cassiano de Amorim, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como Vigário Paroquial na Paróquia Santa Rita de Cássia, na cidade de Vitória (ES).

sexta-feira, 21 de março de 2014

VIA SACRA


Logo mais, às 18h10, acontece no Santuário de Nossa Senhora da Consolação a celebração da Via Sacra, seguida de Missa. A Via Sacra, deste ano, aborda o tema da Campanha da Fraternidade 2014: "Fraternidade e o Tráfico Humano".

Venha e participe!

quinta-feira, 20 de março de 2014

PAPA FRANCISCO CELEBRARÁ MISSA PELA CANONIZAÇÃO DE ANCHIETA


Cidade do Vaticano (RV) - Papa Francisco celebrará, em 24 de abril, uma Santa Missa na igreja de Santo Inácio de Loyola, em Roma, em ação de graças pela canonização do Beato José de Anchieta, religioso fortemente ligado à evangelização no Brasil e que será proclamado Santo no dia 2 de abril, por meio de um decreto papal.

Nascido em Tenerife, nas Ilhas Canárias (Espanha), o jovem jesuíta desembarcou em solo brasileiro em julho de 1553, onde fundou junto com o Padre Manoel da Nóbrega um colégio em Piratininga, que deu origem à cidade de São Paulo. Assim como Anchieta, Papa Francisco é membro da Companhia de Jesus, ordem fundada por Inácio de Loyola. 

A beatificação de Anchieta foi feita por João Paulo II em 1980. O Papa Francisco também vai assinar decretos de canonização de dois beatos franceses que promoveram a evangelização no Canadá: François de Montmorency-Laval e Maria da Encarnação Guyart. (SP)

POSSE CANÔNICA DO NOVO PÁROCO DA PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

No próximo dia 23 de março de 2014, domingo, na Celebração Eucarística das 19h, sob a presidência do bispo diocesano Dom Frei Dario Campos, O.F.M., acontecerá o Rito de Posse Canônica do Novo Pároco da Paróquia Nossa Senhora da Consolação - Frei Agostinho Morosini, O.A.R., assim como renderemos graças a Deus pelo trabalho pastoral desenvolvido por Frei Domingos Sérgio Gusson, O.A.R.

Você e sua família é convidado a estar presente!





PAPA NOMEIA BISPO DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP)

O papa Francisco nomeou hoje, 20, dom José Valmor César Teixeira, como bispo de São José dos Campos (SP), transferindo-o da diocese de Bom Jesus da Lapa (BA). A diocese estava vacante após a transferência de dom Moacir Silva para a arquidiocese de Ribeirão Preto (SP).
Dom José Valmor César Teixeira nasceu em 01 de março de 1953, em Rio do Sul (SC). Foi ordenado sacerdote em 9 de dezembro de 1979. A nomeação episcopal foi em 28 de janeiro de 2009, sendo ordenado bispo no dia 29 do mesmo mês. Seu lema episcopal é “Somos de Deus” ( 1 Jo 4,6).
Estudos
O novo bispo de São José dos Campos estudou Filosofia na Faculdade Salesiana de Filosofia, Ciências e Letras de Lorena (SP) e Teologia naStudium Theologicum da Pontifícia Universidade Católica de Curitiba (PR). Tem especialização em História da Igreja, pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma, na Itália. Dom José Valmor César ainda tem cursos em Estudos Sociais e especialização em Educação.
Atuação
Antes do episcopado, dom César trabalhou em diversos cargos da missão Salesiana, principalmente na área educacional, como professor, conselheiro, diretor, ecônomo e encarregado de estudos. Em 2009, foi diretor do Novo Lar de Menores, em Viamão (RS). Desde 2009, atuava na diocese de Bom Jesus da Lapa (BA), quando foi nomeado bispo pelo papa Bento XVI.
Fonte: Site da CNBB