terça-feira, 31 de dezembro de 2013

HORÁRIOS DE MISSAS NOS DIAS 31/12/2013 E 1º/1/2014


O Santuário de Nossa Senhora da Consolação comunica os horários de Missas para os dias 31 de dezembro de 2013 e 1º de janeiro de 2014:

31 DE DEZEMBRO DE 2013 - terça-feira

6h30 - Missa do sétimo dia da Oitava do Natal (São Silvestre, papa)

19h - Missa das Vésperas da Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus

1º DE JANEIRO DE 2014 - quarta-feira

6h30 - Não haverá missa.

19h - Missa da Solenidade de Santa Maria, Mãe de Deus.

PARABÉNS AOS FREIS ADEMILDO E FÁBIO!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos, neste último dia do ano civil de 2013, recorda o 14º ano da Profissão (votos de pobreza, castidade e obediência) dos Freis Ademildo Gomes, O.A.R. e Fábio Freire Nôcal, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação congratula-se com esses frades com toda a Ordem e roga a Deus que os cumule de ricas bênçãos de saúde e paz.

Frei Fábio Freire Nôcal, O.A.R.

Frei Ademildo Gomes, O.A.R.

segunda-feira, 30 de dezembro de 2013

NO DIA 31/12, PAPA FRANCISCO PRESIDIRÁ CELEBRAÇÃO DAS VÉSPERAS E O CANTO DO "TE DEUM"


Cidade do Vaticano (RV) – Nesta terça-feira (31), último dia de 2013, o Papa Francisco presidirá na Basílica de São Pedro as primeiras Vésperas da Solenidade de Maria Santíssima, seguida da exposição do Santíssimo Sacramento e o canto do tradicional hino Te Deum, de agradecimento e conclusão do ano de 2013. 

Após a Bênção Eucarística, o Santo Padre visitará o Presépio na Praça São Pedro, onde deverá chegar em automóvel, passando sob o ‘Arco delle Campane’.

A Rádio Vaticano transmitirá a cerimônia a partir das 13h50min (horário de Brasília). (JE)

domingo, 29 de dezembro de 2013

REFUGIADOS E IDOSOS, OS "EXILADOS" DOS NOSSOS DIAS. NO ÂNGELUS O PAPA REZA COM AS FAMÍLIAS DO MUNDO


Cidade do Vaticano (RV) – Papa Francisco assomou, esta manhã, à janela do último andar do Palácio Apostólico, que dá para a Praça São Pedro, para rezar a oração mariana do Angelus, com os numerosos peregrinos e fiéis, provenientes da Itália e de diversos países.

Em sua alocução dominical, neste primeiro domingo, depois do Natal, o Santo Padre disse que “a liturgia nos convida a celebrar a festa da Sagrada Família de Nazaré”. De fato, recordou o Papa, todo presépio nos mostra Jesus, juntamente com Maria e São José, na gruta de Belém. Deus quis nascer em uma família humana, quis ter uma mãe e um pai.

Partindo da Liturgia de hoje, que nos apresenta a Sagrada Família no caminho doloroso do exílio, à busca de refúgio no Egito, o Pontífice afirmou:

“José, Maria e Jesus experimentam a condição dramática de refugiados, marcada pelo medo, pela incerteza e pelo incômodo. Infelizmente, em nossos dias, milhões de famílias podem se identificar com esta triste realidade. Quase todos os dias, a televisão e os jornais transmitem notícias de refugiados, que fogem da fome, das guerras e de outros graves perigos, à busca de segurança e de uma vida digna, para si e para suas famílias”.

Em terras distantes, constatou o Papa, mesmo quando encontram trabalho, nem sempre os refugiados e imigrantes encontram uma verdadeira acolhida, respeito e apreço pelos valores dos quais são portadores. Suas legítimas expectativas se deparam com situações complexas e dificuldades que parecem, às vezes, intransponíveis. E acrescentou:

Por isso, quando fixamos nosso olhar na Sagrada Família de Nazaré, quando é obrigada a se refugiar, pensemos no drama daqueles migrantes e refugiados que são vítimas da rejeição e da exploração, que são vítimas do tráfico de pessoas e do trabalho escravo. Pensemos também nos "exilados" - e eu os chamaria de 'exilados escondidos' - aqueles exilados que podem existir no âmbito das próprias famílias: os idosos, por exemplo, que, às vezes, são tratados como presenças incômodas. Muitas vezes, penso que um sinal, para saber como vai uma família, é ver como são tratados as crianças e os idosos”.

Jesus, afirmou o Santo Padre, quis pertencer a uma família, que passou por essas dificuldades, para que ninguém se sinta excluído da presença amorosa de Deus. E explicou:

A Fuga para o Egito, por causa das ameaças de Herodes, nos mostra que Deus se encontra onde o homem corre risco, onde o homem sofre, onde é fugitivo, onde experimenta a rejeição e o abandono; mas é também o lugar onde o homem sonha, espera de voltar à sua terra natal, em liberdade, faz projetos e escolhas para a sua vida e a sua dignidade e a dos seus familiares”.

A seguir, o Bispo de Roma, convidou os fiéis presentes a dirigir o olhar à Sagrada Família, se deixa atrair ainda pela simplicidade de vida, que conduz a Nazaré. Trata-se de um exemplo que faz tanto bem às nossas famílias, as ajuda a se tornar, cada vez mais, uma comunidade de amor e de reconciliação; nela experimentamos a ternura, a ajuda mútua, o perdão recíproco e acrescentou: 

"Recordemos as três palavras chaves para viver em paz e alegria em família: 'dá licença, obrigado, perdão'. Quando em uma família não se é um intruso e se pede "com licença", quando em uma família não se é egoísta e se aprende a dizer "obrigado", e quando em uma família alguém se dá conta que fez uma coisa errada e pede "perdão", então nesta família existe paz e alegria. recordemos estas três palavras: 'com licença, obrigado, perdão'".

Neste ponto, o Pontífice encorajou as famílias a tomarem consciência da importância que tem na Igreja e na sociedade. "O anúncio do Evangelho - disse o Papa -, passa de fato, antes de tudo, através das famílias para depois, chegar até aos diversos âmbitos da vida diária”.

O Papa Francisco concluiu sua alocução dominical, convidando os presentes a invocarem, com fervor, Maria Santíssima, Mãe de Jesus e nossa Mãe, e São José, seu esposo. Convidou-os, também, a pedir à Sagrada Família que nos ilumine, conforte e oriente todas as famílias do mundo, a fim de que possam cumprir, com dignidade e serenidade, a missão que Deus lhes confiou.

Após a oração do Angelus, o Santo Padre comunicou a todos que o próximo Sínodo dos Bispos vai abordar o tema da família e, a sua fase preparatória, já iniciou há muito tempo. Por isso, nesta festa da Sagrada Família, o Papa confiou a Jesus, Maria e José, os trabalhos sinodais e as famílias do mundo inteiro.

Ao final do encontro dominical, o Papa Francisco recitou uma oração dedicada à Sagrada Família. (MT)

sábado, 28 de dezembro de 2013

REFLEXÃO PARA FESTA DA SAGRADA FAMÍLIA


Cidade do vaticano (RV)  Como é hoje a vida de uma família comum? Ela é constituída por um casal e um ou dois filhos. A mãe trabalha fora e possuem pouco tempo para se encontrar. 

Muitas vezes acontecimentos na vida pessoal de cada um sucedem e não são colocados em comum, porque não possuem tempo ou não existe clima para isso.

Pior quando surgem mágoas e elas não são trabalhadas, mas engolidas. A natureza, que pede vida de família, se sente violentada e, mais cedo ou mais tarde, essas mágoas, que não foram digeridas, voltam e aí temos situações profundamente dolorosas que provocam mágoas maiores e, muitas vezes, sem solução imediata.

Também é muito doloroso quando algum membro da família possui algo maravilhoso para partilhar e não recebe a devida atenção para isso, pior quando sua bela notícia é reduzida a algo corriqueiro, insignificante.

Aí vem em socorro da família a profecia de Isaías, proposta como primeira leitura da missa da noite de Natal: “O povo que andava na escuridão, viu uma grande luz; para os que habitavam nas sombras da morte, uma luz resplandeceu” (Is 9, 1). O Senhor se encarna e se solidariza, redimindo-nos e nos devolvendo nossa dignidade de pessoas, de seres criados á sua imagem e semelhança.

A liturgia da festa da Sagrada Família traz, para a família do dia de hoje, a luz e a força para redescobrir e manter o caminho da felicidade.

A família de Nazaré tinha tudo para ser submissa aos caprichos de uma sociedade consumista, pós moderna e economicamente carente. Basta ler os relatos evangélicos da infância de Jesus e sobre sua família. Mas a presença de Deus, o Deus-Conosco em seu meio e sua fidelidade ao Amor de Deus, fizeram a diferença.

A primeira leitura, extraída do Livro do Eclesiástico, nos fala de que a misericórdia em todos os relacionamentos, mas principalmente para com os pais, está em referência a Deus que é o Pai por excelência. Honrar e respeitar os pais é prestar culto a Deus.

Também a Carta de São Paulo aos Colossenses, continua o tema da misericórdia nas relações familiares. “Tudo o que fizerdes, em palavras ou em obras, seja feito em nome do Senhor Jesus Cristo”, nos diz o Apóstolo.

Jesus, o Caminho, a Verdade, a Vida, o Amor nos ensina o verdadeiro caminho para o Pai, para a felicidade ainda neste mundo. Será necessário renunciar aos valores deste mundo, será necessário renunciar fazer dos filhos pessoas como nos pedem o elitismo e seus códigos. Será necessário que no relacionamento do casal seja priorizado o diálogo. Será necessário ver na simplicidade de vida e até na carência de certos bens, a presença do carinho de Deus que supre tudo aquilo que nossa carne valoriza.

Deixemos a luz de Deus entrar, iluminar e aquecer nossa vida. Ela nos revelará nossa submissão aos valores mundanos e, consequentemente explicará a causa de nossos sofrimentos. Veremos em que situação colocamos nosso coração, não na simplicidade do lar de Nazaré, mas no fausto do Palácio de Herodes.

sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

29 DE DEZEMBRO: S.O.S. FILIPINAS!

No próximo domingo, 29/12/2013, é o dia destinado para coleta de ajuda aos filipinos, conforme solicitação feita pela Cáritas do Brasil.

quinta-feira, 26 de dezembro de 2013

PARABÉNS FREI GUSTAVO!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos recorda neste dia, 27 de dezembro de 2013, o aniversário natalício de Frei Gustavo Barbieiro Mello, O.A.R. (28 anos) e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação alegra-se com toda Família Agostiniana Recoleta por este dia de júbilo e roga a Deus que lhe conceda ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei Gustado Barbieiro Mello, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como sacerdote/missionário em Lábrea, no Estado do Amazonas.

MENSAGEM DE DOM DÉCIO SOSSAI ZANDONADE - BISPO DIOCESANO DE COLATINA - SOBRE AS CHUVAS


Vitória, 24 de dezembro de 2013.
À sociedade espírito-santense
Aos homens e mulheres de boa vontade

Ref.: Carta de agradecimento e solicitação de apoio para a reconstrução das condições de moradia para as famílias atingidas pelas fortes chuvas no estado do Espírito Santo.

Caríssimos irmãos e irmãs, neste tempo natalino, tempo de fé e de esperança n'Aquele que vem para salvar o seu povo eu, Dom Décio Sossai Zandonade, Bispo referencial da Cáritas Brasileira Regional Espírito Santo, formalizada em 29 de agosto de 2011 sob o CNPJ nº 33.654.419/0013-50 - sediada na Rua Soldado Abílio dos Santos, nº 47 - Centro, Vitória, Espírito Santo, integrada à Rede Cáritas Brasileira, venho agradecer a generosidade do povo do Espírito Santo que está totalmente mobilizado e empenhado em minimizar o sofrimento das milhares de famílias que estão desabrigadas e ou desalojadas por causa das fortes chuvas que caem sobre nosso estado há mais de uma semana.

É o espírito do Verbo Encarnado que toca o coração do povo para salvar o povo. São centenas de voluntários trabalhando incessantemente para receber e organizar os desabrigados, para receber e distribuir os donativos que chegam. Já são toneladas de produtos recebidos e transferidos para os necessitados e nós reconhecemos esse esforço coletivo da sociedade e reafirmamos como dizia Dom João Batista da Mota e Albuquerque, há mais de trinta anos, "Só o povo salva o povo", quando passamos por uma experiência semelhante a essa. A solidariedade da sociedade capixaba é impressionante e mostra o verdadeiro sentido de celebrarmos o Natal, a chegada do Menino Jesus que nasceu para salvar o mundo das injustiças e do sofrimento.

A Cáritas Brasileira Regional Espírito Santo é um Organismo da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil - CNBB e, compõe a grande rede de solidariedade presente no Brasil inteiro, no nosso estado do Espírito Santo e em quase duzentos países onde desenvolve ações na perspectiva da inclusão social e do empoderamento das famílias e comunidades mais necessitadas, de forma organizada e sistematizada. Neste sentido, queremos conclamar a sociedade capixaba para manter acessa as chamas desse amor que acolhe os necessitados para continuarem a fazer suas doações, agora, no sentido de reconstrução das condições de moradia, porque sabemos que a necessidade imediata está sendo muito bem atendida pela sociedade, pela Defesa Civil, pela união dos esforços dos poderes públicos nas três esferas de governo, mas, sabemos que os momentos após a tragédia serão dolorosos para as famílias e comunidades que perderam suas casas, móveis e eletrodomésticos de forma que para a maioria delas será muito difícil recomeçar sem a colaboração e ajudada de todos nós, por isso, lançamos esta campanha estadual para que as pessoas e/ou empresas possam contribuir com doação em dinheiro para a reconstrução das condições de moradia das famílias que perderam seus bens.

Quem quiser e puder doar, façam depósito na conta:

Banco do Brasil
Conta Corrente: 38.079-2
Agencia: 0.112-0
CNPJ: 017915070001/73
Titular: Cáritas Diocesana de Colatina

As doações de roupas, alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal e principalmente água são bem vindas e podem ser entregue nas Paróquias e nos postos de arrecadação.

Deus abençoe a todos e todas e vos anime na missão de ajudar o próximo.

Dom Décio Sossai Zandonade
Bispo Referencial da Cáritas Brasileira Regional Espírito Santo

Contatos: 27 3222-0824 / 27 2102-5016 / 99801-8973 - 99234-7017 / 99238-2371

Cáritas Diocesana de Cachoeiro de Itapemrim - (28) 3522-7802

CAMPANHA DE AJUDA AOS VITIMADOS PELAS CHUVAS NO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

A Cáritas da Diocese de Cachoeiro de Itapemirim entra na campanha em prol dos desabrigadas pelas chuvas que assolam o Estado do Espírito Santo.


quarta-feira, 25 de dezembro de 2013

EM MENSAGEM DE NATAL, PAPA LEMBRA OS SOFRIMENTOS DA GUERRA E PEDE PAZ. "DEIXEMOS QUE O NOSSO CORAÇÃO SE COMOVA COM DEUS"


Cidade do Vaticano (RV) – Diante de mais de cem mil pessoas que o aguardavam na Praça São Pedro, o Papa Francisco leu em sua sacada, ao meio-dia deste dia de Natal, a mensagem "Urbi et Orbi", à cidade e o mundo.

Desejando um Feliz Natal a todos, Francisco lembrou que a primeira coisa que o Natal nos chama a fazer é dar glória a Deus, porque Ele é bom, é fiel, é misericordioso. O Papa espera que “todos possam sentir que Deus está perto, possam estar na sua presença, amá-Lo e adorá-Lo”. 

O Papa frisou que “a verdadeira paz não é um equilíbrio entre forças contrárias; não é uma bela ‘fachada’, por trás da qual há contrastes e divisões. A paz é um compromisso de todos os dias, que se realiza a partir do dom de Deus, da graça que Ele nos deu em Jesus Cristo”. 

A partir daí, disse Francisco, “pensamos nas crianças que são as vítimas mais frágeis das guerras, nos idosos, nas mulheres maltratadas, nos doentes... As guerras dilaceram e ferem tantas vidas!”. 

Muitas vidas dilacerou, nos últimos tempos, o conflito na Síria, fomentando ódio e vingança. Continuemos a pedir ao Senhor que poupe novos sofrimentos ao amado povo sírio, e as partes em conflito ponham fim a toda violência e assegurem o acesso à ajuda humanitária”.

O Bispo de Roma se disse contente em saber que pessoas de diversas confissões religiosas se unem à súplica pela paz na Síria.

Depois foi a vez do Papa lembrar a situação da República Centro-Africana, frequentemente esquecida dos homens e “dilacerada por uma espiral de violência e miséria onde muitas pessoas estão sem casa, sem água nem comida, sem o mínimo para viver”. 

Ainda no continente africano, o Papa pediu “concórdia no jovem Estado do Sudão do Sul e na Nigéria, países onde a convivência pacífica tem sido ameaçada por ataques que não poupam inocentes nem indefesos”. 

Como sempre, Francisco dedicou um pensamento aos deslocados e refugiados, especialmente no Chifre da África e no leste da República Democrática do Congo:

Fazei que os emigrantes em busca duma vida digna encontrem acolhimento e ajuda. Que nunca mais aconteçam tragédias como aquelas a que assistimos este ano, com numerosos mortos em Lampedusa”. 

Passando ao Oriente Médio, Francisco clamou pela “conversão do coração dos violentos, por um desfecho feliz das negociações de paz entre israelenses e palestinos e pela cura das chagas do amado Iraque, ferido ainda frequentemente por atentados”. 

O Papa mencionou ainda outro tema que o preocupa: 

Tocai o coração de todos os que estão envolvidos no tráfico de seres humanos, para que se dêem conta da gravidade deste crime contra a humanidade. Voltai o vosso olhar para as inúmeras crianças que são raptadas, feridas e mortas nos conflitos armados e para quantas são transformadas em soldados, privadas da sua infância”. 

Sempre sensível à questão ambiental e às consequências dos nossos maus comportamentos, o Pontífice chamou a atenção para “a ganância e a ambição dos homens e pediu proteção para as vítimas de calamidades naturais, especialmente o querido povo filipino, gravemente atingido pelo recente tufão”. 

Francisco terminou sua fala com uma mensagem de esperança: 

Deixemos que o nosso coração se comova, se incendeie com a ternura de Deus; precisamos das suas carícias. Deus é grande no amor; Deus é paz: peçamos-Lhe que nos ajude a construí-la cada dia na nossa vida, nas nossas famílias, nas nossas cidades e nações, no mundo inteiro. Deixemo-nos comover pela bondade de Deus”.

Na sequência, o Papa Francisco fez votos de Feliz Natal aos fiéis reunidos na Praça e aos que estavam em conexão no mundo inteiro através dos meios de comunicação, invocando os dons natalícios da alegria e da paz para todos: para as crianças e os idosos, para os jovens e as famílias, para os pobres e os marginalizados. 

Nascido para nós, Jesus conforte quantos suportam a prova da doença e da tribulação; e sustente aqueles que se dedicam ao serviço dos irmãos mais necessitados. Feliz Natal!”, concluiu o Papa, concedendo a bênção Urbi et Orbi.

FRANCISCO NA MISSA DO GALO: OS PASTORES FORAM OS PRIMEIROS A RECEBER O ANÚNCIO DO NASCIMENTO DE JESUS PORQUE ERAM OS ÚLTIMOS, OS MARGINALIZADOS


Cidade do Vaticano (RV) - Nesta Noite partilhamos a alegria do Evangelho: Deus ama-nos; e ama-nos tanto que nos deu o seu Filho como nosso irmão, como luz nas nossas trevas. O Senhor repete-nos: «Não temais» (Lc 2, 10). E vo-lo repito também eu: Não temais! Foi a exortação do Santo Padre na Missa do Galo celebrada na noite de ontem, no primeiro Natal do Papa Francisco.

De fato, milhares de fiéis e peregrinos provenientes de várias partes do mundo lotaram a Basílica de São Pedro para participar da tradicional missa da noite de Natal presidida pelo Pontífice, concelebrada por mais de 300 cardeais, bispos e sacerdotes.

"O povo que andava nas trevas viu uma grande luz." Com essa citação do profeta Isaías (9, 1), Francisco iniciou a homilia da celebração. "Esta profecia – disse – não cessa de comover, especialmente quando a ouvimos na liturgia da Noite de Natal."

O Bispo de Roma observou não tratar-se apenas de um fato emotivo, sentimental.

"Comove-nos porque exprime a realidade profunda daquilo que somos: somos povo em caminho, e ao nosso redor – mas também dentro de nós – há trevas e luz."

"E nesta noite, enquanto o espírito das trevas envolve o mundo, renova-se o acontecimento que sempre nos maravilha e surpreende: o povo em caminho vê uma grande luz. Uma luz que nos faz refletir sobre este mistério: o mistério do andar e do ver."

Recordando o curso da história ao longo do caminho da salvação, partindo do nosso pai na fé Abraão, o Bispo de Roma recordou a nossa identidade de fiéis qual povo peregrino que caminha para a terra prometida.

"Deus é luz, e n'Ele não há nenhuma espécie de trevas", enfatizou o Papa citando a 1º Carta de João (1, 5).

"Diversamente, do lado do povo, alternam-se momentos de luz e de escuridão, fidelidade e infidelidade, obediência e rebelião; momentos de povo peregrino e de povo errante", observou.

"E, na nossa historia pessoal, também se alternam momentos luminosos e escuros, luzes e sombras. Se amamos a Deus e aos irmãos, andamos na luz; mas, se o nosso coração se fecha, se prevalece em nós o orgulho, a mentira, a busca do próprio interesse, então calam as trevas dentro de nós e ao nosso redor."

Aquele que odeia seu irmão está nas trevas e nas trevas caminha, sem saber para onde vai, porque as trevas lhe cegaram os olhos, frisou o Papa Francisco, citando novamente a 1ª Carta do Apóstolo João (2, 11). Em seguida, recordou o anuncio do Apóstolo Paulo na Carta a Tito (2, 11): "Manifestou-se a graça de Deus, que traz a salvação para todos os homens".

"A graça que se manifestou no mundo é Jesus, nascido da Virgem Maria, verdadeiro homem e verdadeiro Deus. Entrou na nossa história, partilhou o nosso caminho. Veio para nos libertar das trevas e nos dar a luz. N’Ele manifestou-se a graça, a misericórdia, a ternura do Pai: Jesus é o Amor feito carne."

Frisando que Jesus pôs a sua tenda no meio de nós, o Santo Padre recordou que os pastores foram os primeiros a ver esta "tenda", a receber o anúncio de Jesus. "Foram os primeiros porque estavam entre os últimos, os marginalizados". Com eles, detemo-nos diante do Menino, detemo-nos em silêncio.

"Com eles, agradecemos ao Pai do Céu por nos ter dado Jesus e, com eles, deixamos subir do fundo do coração o nosso louvor pela sua fidelidade: Nós Vos bendizemos, Senhor Deus Altíssimo, que Vos humilhastes por nós. Sois imenso, e fizestes-Vos pequenino; sois rico, e fizestes-Vos pobre; sois onipotente, e fizestes-Vos frágil."

Nesta noite partilhamos a alegria do Evangelho, acrescentou: "Deus ama-nos; e ama-nos tanto que nos deu o seu Filho como nosso irmão, como luz nas nossas trevas."

Concluindo, o Santo Padre acrescentou:

"O nosso Pai é paciente, ama-nos, dá-nos Jesus para nos guiar no caminho para a terra prometida. Ele é a luz que ilumina as trevas. Ele é a nossa paz."

Ao término, Francisco deixou o Altar da Confissão deslocando-se com a imagem do Menino Jesus até a entrada da nave central, onde depositou o Menino na manjedoura do presépio montado na Basílica Vaticana. (RL)

terça-feira, 24 de dezembro de 2013

FRANCISCO PRESIDE PRIMEIRA MISSA DO GALO DE SEU PONTIFICADO


Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco começa hoje, presidindo a tradicional Missa do Galo a partir das 18h30 (hora de Brasília) a cumprir pela primeira vez o calendário litúrgico do Natal, no Vaticano, A Rádio Vaticano transmite a cerimônia ao vivo da Basílica de São Pedro, com comentários em português, a partir das 18h20. 

Normalmente celebrada às 24h no Brasil, a Missa do Galo é programada às 21h30 no Vaticano para evitar o cansaço excessivo do Papa, que deve prosseguir na manhã do dia 25 os atos do Natal.

Todos os cardeais, bispos e sacerdotes que quiserem poderão concelebrar com o Papa. A celebração será precedida pelo tradicional rito da Kalenda, canto da antiguidade cristã que anuncia solenemente o nascimento de Jesus.

O livro da celebração disponibilizado pela Santa Sé adianta que após o canto do ‘Glória’, serão tocados os sinos da Basílica de São Pedro. No final da celebração, Francisco vai levar uma imagem do Menino Jesus à manjedoura, onde haverá uma homenagem de 10 crianças, representando os cinco continentes, que depositarão flores.

Antes da Missa do Galo, o Papa deve acender o Círio da Paz na janela de seu escritório, no Palácio Pontifício. Não está previsto que o Francisco pronuncie um discurso; habitualmente o Pontífice reza alguns segundos pela paz no mundo. 

Ao mesmo tempo, milhares de fiéis presenciam a inauguração do presépio erguido diante do obelisco no centro da Praça São Pedro.

Este ano, o presépio foi doado pelo Cardeal Crescenzio Sepe, arcebispo de Nápoles, e é composto por 16 figuras realizadas em argila com vestidos em tecido. 

A composição cênica é intitulada "Francisco 1223 - Francisco 2013". 

REFLEXÃO PARA SOLENIDADE DO NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO


Cidade do Vaticano (RV) - Quando São Lucas nos descreve o nascimento de Jesus, cita não apenas o local, mas nos diz inclusive quem eram o governador e o imperador da época. O evangelista quer, com isso, nos afirmar que o nascimento de Jesus foi histórico e não se trata de uma lenda como, ainda hoje, algumas pessoas teimam em afirmar.

São Lucas também faz questão de recordar aos judeus o que está escrito nas Sagradas Escrituras sobre o Messias, o príncipe descendente do rei Davi, que iria salvar todos. Lucas mostra que as profecias se realizaram em Jesus de Nazaré, nascido em Belém, da Virgem Maria.

Ao mesmo tempo, o evangelista mostra que esse novo rei, esse menino, não será um mandatário como os demais, ao contrário. Enquanto os príncipes comuns nascem em palácios, esse nasceu em uma estrebaria, seu berçinho foi uma manjedoura, tudo isso porque já nasceu rejeitado, porque propunha tirar as pessoas de suas acomodações e se abrirem ao novo, ao inesperado e a ele se acomodarem.

Esse rei, o verdadeiro Deus, não aqueles reis como os imperadores romanos que faziam questão de ser adorados como deuses, podendo escolher nascer em uma terra poderosa como Roma, e de pais ricos, escolheu pais pobres, moradores de um povoado desprestigiado, de um país subjugado e como migrante.

O novo rei, o rei imortal e eterno decide já desde criança nos ensinar que somente o Amor poderá vencer a violência, a riqueza opressora, o derramamento de sangue, o preconceito, o perfeccionismo que escraviza, o egoísmo que mata e tudo aquilo que nos sufoca e destrói.
Ele escolhe a noite para nascer porque ele é Luz e a luz destrói a escuridão, as trevas do pecado e do erro.

Jesus, o Príncipe da Paz, a Luz do Mundo, nasceu para, com sua morte e ressurreição, destruir aquilo que assusta, atemoriza, infelicita o homem.

Deus se faz homem para dar ao homem a dignidade divina. Esse rei vem não para diminuir nossa natureza, mas para engrandecê-la.

Agora, diante do presépio, vamos rezar, vamos fazer uma oração ao Menino Jesus, conversar com ele.

Menino Jesus, creio que você é o nosso Salvador, a nossa Esperança, a nossa Estrela Guia para a felicidade neste mundo e para a eterna. Quero, com sua ajuda, colocar em prática tudo o que você nos ensinou. Peço com a intercessão de Maria, a graça de me desacomodar, de tornar-me disponível a tudo o que o Amor me pedir, mesmo que seja bastante exigente, mas que eu confie unicamente em seu Poder e Ajuda.Oh! Vem Emanuel, Deus Conosco, Oh! Vem salvar-me e a todos os meus entes queridos. Oh! Doce Emanuel, vem salvar todos os homens, toda a humanidade. Mostra-me e a todos nós que a autêntica felicidade não está no que passa, mas no eterno. Oh! Menino Emanuel, vem e cresce em nós. Amém.

Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/12/24/reflex%C3%A3o_para_o_natal/bra-758359 do site da Rádio Vaticano 

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

O PRIOR GERAL CONVIDA À SOLIDARIEDADE COM OS POBRES EM SUA SAUDAÇÃO TRADICIONAL DE NATAL

Como é tradição, o prior geral da Ordem dos Agostinianos Recoletos, Miguel Miró, preparou uma mensagem em vídeo, gravado desta vez na Colômbia, por ocasião do Natal e nos convida "solidariedade com os pobres, porque o Natal também é para eles", e transmite em nome do desejo dos Agostinianos Recoletos por amor, justiça e paz.

Abaixo reproduzimos a mensagem de Natal de Miguel Miró, prior geral da Ordem dos Agostinianos Recoletos , em sua totalidade:

"Alegra-te ! É Natal. Em Belém nasceu ou nosso Salvador. Com humildade cheguemos próximo para adorar o menino recém-nascido. Contemplar com a fé do Filho de Deus que se fez homem, que nós, homens podem se tornar filhos de Deus. Abramos nossos corações, vamos nos aproximar de Deus e deixar-nos sentir profundamente amados. Este amor regenera nossas vidas. Esse amor dá sentido a tudo ou que fazemos e vivemos. Sua luz brilha dentro. Toda essa terra faz brotar desejos de amor, de justiça e de paz. Convido você a ficar em solidariedade com os pobres. Para eles, é Natal. De Bogotá , na Colômbia , desejamos-lhe e todos vos seus familiares um Feliz Natal." 


See more at: http://www.agustinosrecoletos.com/news/view/258-ultimas-noticias-actualidad/4540-o-prior-geral-convida-a-solidariedade-com-os-pobres-em-sua-saudacao-tradicional-de-natal#sthash.g4zS6ULp.dpuf

HORÁRIO DE MISSAS NA SOLENIDADE DO NATAL DE NOSSO SENHOR JESUS CRISTO


Os horários das Celebrações Eucarísticas no Santuário de Nossa Senhora da Consolação por ocasião da Solenidade do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo serão os seguintes:

24 de dezembro de 2013 (terça-feira)

6h30 - Celebração Eucarística da terça-feira da 4ª semana do advento

20h00 - Vigília do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo (Missa do Galo)

25 de dezembro de 2013 (quarta-feira)

Não haverá a missa das 6h30, somente Celebração Eucarística do dia do Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, às 19h00.

A Paróquia Nossa Senhora da Consolação deseja a todos os paroquianos um período de Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo santo e feliz!

domingo, 22 de dezembro de 2013

PARABÉNS FREI IVO BOCHETTI!

Nesta segunda-feira da 4ª semana do advento, 23 de dezembro de 2013, o calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos recorda o aniversário natalício de Frei Ivo Bochetti, O.A.R. (85 anos) e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação rende graças a Deus pelo dom da vida concedido a esse filho querido e pede que derrame sobre Frei Ivo uma chuva de bênçãos de muita saúde e sabedoria.

Frei Ivo Bochetti, O.A.R., atualmente, reside e trabalha na Paróquia Nossa Senhora Aparecida (capelinha), na cidade de Franca (SP) e ele foi o terceiro pároco da Paróquia Nossa Senhora da Consolação, cidade de Cachoeiro de Itapemirim (ES).

sábado, 21 de dezembro de 2013

REFLEXÃO PARA O 4º DOMINGO DO ADVENTO - ANO A


Cidade do Vaticano (RV) - A primeira leitura da liturgia deste 4º domingo do Advento, apresenta a aliança entre dois reis, com a finalidade de depor um terceiro, Acaz, rei de Jerusalém. Com isso a dinastia davídica se esfacelaria e outro rei, de outra família, ocuparia o trono de Jerusalém. 

Mas Deus é fiel e manterá sua promessa de que um descendente de Davi seria o rei de Judá.. Contudo o rei Acaz não dá muito importância à palavra de Deus, não confia em suas palavras, mas confia em sua aliança com um 4º rei.

O profeta Isaías fica preocupadíssimo com o modo de agir do rei Acaz e percebe que tudo será um desastre para Israel.

O povo confia em Deus, mas fica estarrecido com menosprezo que Acaz dá à situação e sua atitude em relação aos ídolos pagãos a ponto de oferecer seu filho aos mesmos. 
Por isso ele, de modo falso, diz que não irá incomodar Deus, quando lhe é dito de pedir um sinal a Deus.

Nesse momento é dado, pelo profeta Isaías, um sinal: a virgem dará á luz um filho que se chamará Emanuel.

Acaz se torna empedernido, perde a guerra, os assírios se tornaram colonizadores de Israel, mas Deus se manteve fiel. Ezequias, o filho da virgem, descendente de Davi, nasceu e se tornou rei, um bom rei. Ele foi visto como a presença de Deus, de Deus que não abandona, de Deus que está com seu povo, do de Deus que se chama Emanuel – Deus conosco!

Essa leitura questiona nosso modo de pensar e de agir quando não confiamos em Deus e não damos a Ele a primazia em nossas decisões, quando confiamos mais no mundo, em nossos feitos e amizades, em nossas “orações” e “novenas”, em nossas superstições e não na palavra dele de que nos ama, de que se entregou por nós, na presença de Nossa Senhora ao nosso lado. Não somos nossa providência, ninguém é nossa providência, só o Senhor é a Providência.

Deus conosco é o tema também do Evangelho de Mateus, proclamado nesta liturgia, que nos fala da gravidez de Maria, após a realização do contrato nupcial entre ela e José, mas ainda sem co-habitarem.

O sinal que Isaías falava para o rei Acaz pedir a Deus, é concretizado no nascimento de Jesus, o Deus Conosco, o Emanuel.

Maria é a virgem, que confiou absolutamente em Deus e se entregou totalmente à missão que Ele lhe confiava. Também José, o justo, porque entre situações muito embaraçosas, optou por não cometer injustiças, mas deixar tudo nas mãos de Deus e confiar na divina Providência.

Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/12/21/reflex%C3%A3o_para_4%C2%BA_domingo_do_advento_/bra-757699 do site da Rádio Vaticano 

PARABÉNS FREI MÁRIO!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos neste dia, 21 de dezembro de 2013, recorda o 17º aniversário da ordenação presbiteral de Frei Mário Aparecido, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação congratula-se com a Ordem dos Agostinianos Recoletos e com o sacerdote e roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei Mário Aparecido, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como pároco da Paróquia Nossa Senhora da Penha, na cidade de Castelo (ES).

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

PARABÉNS FREI FRANCISCO!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos recorda neste dia, 19 de dezembro de 2013, o 27º aniversário da ordenação presbiteral de Frei Francisco Sevolani Botacin, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação irmana-se com toda Ordem dos Agostinianos Recoletos e roga a Deus que lhe cumule de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei Francisco Sevolani Botacin, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como pároco na Paróquia Nossa Senhora das Graças, na cidade de Franca (SP). 

quarta-feira, 18 de dezembro de 2013

BEATO JOSÉ DE ANCHIETA SERÁ CANONIZADO, AFIRMA DOM DAMASCENO

O Jesuíta, Beato José de Anchieta, logo receberá a honra dos altares. Foi o que informou na manhã desta quarta-feira, 18, o Arcebispo de Aparecida e presidente da CNBB, Dom Raymundo Damasceno, durante coletiva de imprensa no Santuário Nacional.

O comunicado da Santa Sé sobre a canonização do beato veio por meio de um telefonema do próprio Papa Francisco a Dom Damasceno.  A notícia em favor do defensor dos indígenas, catequista, considerado apóstolo do Brasil, foi recebida com alegria pelo Cardeal. 

“José de Anchieta deixou marcar profundas no início da colonização do Brasil, como também na sua evangelização. Eu creio que ele merece ser cultuado por toda a Igreja”, disse.

A data da canonização que ainda será definida pela Santa Sé.

Dentre as novidades apresentadas por Dom Raymundo Damasceno, está a realização de uma edição extraordinária do Sínodo dos Bispos para o próximo ano, em Roma, e que falará sobre a família. A Assembleia ordinária acontecerá em 2015. Além disso, apresentou o tema e o lema da próxima Campanha da Fraternidade, que abordará o tráfico humano.

O bispo auxiliar de Aparecida, Dom Darci José Nicioli, relembrou também os momentos mais marcantes da arquidiocese: a Festa de Frei Galvão, Romaria Nacional da Juventude, dia dedicado à Padroeira do Brasil e o crescimento de público no Santuário. Segundo ele, mais de 11 milhões de fiéis estiveram na Basílica este ano, além da ilustre presença do Papa Francisco em julho durante a Jornada Mundial da Juventude. 

“Eu gosto de uma frase que ele usou aqui [em Aparecida]: ‘não deixem que roubem a esperança do nosso coração’, e nós estamos sedentos de esperança. Então, tudo isso significa esperança: nunca desanimar , nunca desistir...”, ressaltou o bispo. 

Ainda durante a coletiva, Dom Damasceno destacou ainda dois documentos elaborados pelo Papa neste ano: a Exortação Apostólica Evangelii Gaudium, com o apelo para a missão evangelizadora da igreja, e a mensagem de Francisco para o dia 1º de janeiro de 2014, em que o Pontífice faz referência à Fraternidade como um caminho para a paz.

Por fim, o cardeal expressou sua mensagem aos fiéis para este Natal. “Somos chamados a viver essa mensagem profunda do Natal, acolher bem o outro, ver no outro um outro eu. Esta é a minha mensagem de um Feliz e Santo Natal para todos e também um Ano Novo muito abençoado, sobre a proteção de Nossa Senhora Aparecida”, disse.

Fonte: Site Canção Nova Notícias

NATAL ILUMINAR, NA CIDADE DE MUQUI

A Paróquia São João Batista, administrada pelos Frades Agostinianos Recoletos (Frei Gracione, Frei Agostinho e Frei Wesley), da cidade de Muqui, juntamente com as comunidades que compõem aquela porção do Povo de Deus irá promover no período de 19 a 24 de dezembro uma vasta programação em preparação ao Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, dentre as atividades, no dia 22 de dezembro de 2013, acontecerá o show com o cantor Eugênio Jorge no Parques de Exposições da cidade de Muqui.

Ajude na divulgação e participe!

RECITAL DE NATAL


O período que antecede o Natal traz consigo muitas demonstrações artísticas, seja na iluminação das lâmpadas coloridas, nos presépios das mais variadas formas e tamanhos ou em outras diversas manifestações de arte e fé.

No próximo domingo, 22, a Catedral de São Pedro, em Cachoeiro de Itapemirim, será palco de mais uma demonstração do espírito artístico natalino, com o Recital de Natal, protagonizado pelo Coral Canto Livre.

A apresentação será às 20h, na Catedral de São Pedro. Todos são convidados!

terça-feira, 17 de dezembro de 2013

PAPA PROCLAMA NOVO SANTO NA IGREJA: O JESUÍTA PEDRO FABRO


Rádio Vaticano (RV) – O Papa Francisco recebeu em audiência privada nesta terça-feira (17), o Prefeito da Congregação da Causa dos Santos, Cardeal Angelo Amato. No decorrer do encontro, o Sumo Pontífice, após ouvir o Relatório, estendeu à Igreja universal o culto litúrgico em honra ao Beato Pedro Fabro, sacerdote professo da Companhia de Jesus, nascido em Le Villaret (Alta Saboia, França) em 13 de abril de 1506 e falecido em Roma em 1º de agosto de 1546, inscrevendo-o no Catálogo dos Santos.

Ao mesmo tempo autorizou a Congregação a promulgar os Decretos que reconhecem:

- o milagre, atribuído à intercessão da Venerável Serva de Deus Maria Teresa Demjanovich, religiosa professa da Congregação das Irmãs da Caridade de Santa Isabel; nascida em Bayonne (Nova Jersey, Estados Unidos) em 26 de março de 1901 e falecida em 8 de maio de 1927;

- as virtudes heróicas do Servo de Deus Emanuele Herranz Establés, Sacerdote diocesano e Fundador das Religiosas Escravas da Virgem Dolorosa; nascido em Campillo de Dueñas, Espanha, em 1º de janeiro de 1880 e falecido em Madrid, Espanha, em 29 de junho de 1968;

- as virtudes heróicas do Servo de Deus Giorgio Ciesielski, leigo e pai de família; nascido em Cracóvia, Polônia, em 12 de fevereiro de 1929 e falecido no Egito em 9 de outubro de 1970. (JE)

FOTO HISTÓRICA: INAUGURAÇÃO DO SANTUÁRIO DE NOSSA SENHORA DA CONSOLAÇÃO

Com certeza que ajudou a construir e esteve no dia 29 de maio de 1960 na inauguração do Santuário de Nossa Senhora da Consolação, em Cachoeiro de Itapemirim, Estado do Espírito Santo, vai relembrar desse momento único para toda cidade e, também, do Frei Antolin Rodriguez, idealizador e motivador do belo santuário dedicado a Virgem Consoladora dos Aflitos. Como diz Frei Toninho: "A Consolação de Cachoeiro".

Na inauguração não havia a torre que comporta os três belos sinos.


PARABÉNS FREI PEDRO OLAVO!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos neste dia, 17 de dezembro de 2013, comemora o 46º aniversário da ordenação presbiteral de Frei Pedro Olavo Queiroz Macedo, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação uni-se a Ordem Agostiniana Recoleta neste dia festivo e roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei Pedro Olavo Queiroz Macedo, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como Vigário Paroquial na Paróquia São Januário, cidade do Rio de Janeiro (RJ).

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

PARABÉNS AO PAPA FRANCISCO!

No dia 17 de dezembro de 1937, nascia em Buenos Aires (Argentina), Jorge Mario Bergoglio.

Feliz aniversário Santo Padre Francisco!


MENSAGEM DE NATAL DE DOM DARIO CAMPOS, O.F.M.

Queridos irmãos, queridas irmãs
Paz e bem!

É Natal

O Filho de Deus vem viver nossa vida, vem nascer do útero de Maria, vem receber o carinho de nossos braços, vem carecer dos cuidados de uma família humana.

A nossa Igreja se alegra pelo tempo que se aproxima. É Deus, no mistério da ressurreição de seu Filho, fazendo - nos voltar à gruta de Belém e nos encantar com tamanha revelação.

Jesus é Deus por inteiro. É a cara do Pai. É o retrato da vida que por Ele será retratada. Jesus menino é a brisa mansa dos céus que vem encher de graça a terra. Vem habitar nos nossos cafezais, nas montanhas do Espírito Santo, vem ser a imensidão do mar que banha nossa terra, vem ser a rocha, em nossos granitos, a nos dar segurança de filhos que são convidados a renascer, a cada dia, em seu amor.

Desejo a todos e todas um Santo e Feliz Natal!
Dom Frei Dario Campos, ofm
Bispo Diocesano

Dezembro de 2013

PARABÉNS AOS FREIS RAIMUNDO E CELSO!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos apresenta neste dia, 16 de dezembro de 2013, dois aniversários: 18º aniversário de ordenação presbiteral de Frei Raimundo Nonato de Oliveira, O.A.R. e 13º aniversário de ordenação sacerdotal de Frei Celso Moreira Júnior, O.A.R. e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação roga a Deus que conceda a esses religiosos muita saúde e sabedoria.


Frei Raimundo Nonato de Oliveira, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como Vigário Paroquial na Paróquia Sagrado Coração de Jesus, na cidade de Franca (SP).


Frei Celso Moreira Júnior, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como Vigário Paroquial na Paróquia São José, na cidade de Ribeirão Preto (SP), sede da Cúria Provincial.

sábado, 14 de dezembro de 2013

PARABÉNS FREI RICARDO!

Neste dia 14 de dezembro de 2013, a Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos rende graças a Deus pelo dom da vida de Frei Ricardo Alberto Dias, O.A.R., recentemente ordenado diácono transitório, são 32 anos de vida abençoadas por Deus e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação alegra-se com toda Família Agostiniana Recoleta neste dia tão especial e roga ao Senhor da Vida que lhe conceda dias de saúde, muita paz e sabedoria.

Frei Ricardo Alberto Dias, O.A.R., atualmente, reside e trabalha como diácono transitório na Paróquia Nossa Senhora da Penha, na cidade de Castelo (ES).

REFLEXÃO PARA O 3º DOMINGO DO ADVENTO - ANO A


Cidade do Vaticano - (RV) - Diante de um mundo arrasado, de um ambiente de profunda desolação, de corações sofridos e enlutados, Isaías clama Vida, Alegria, Ressurreição! O texto da primeira leitura de hoje, extraído do livro de Isaías, nos leva à Esperança. O Profeta quebra a rotina desoladora e nos aponta a ação de Deus, a regeneração do mundo, a redenção do ser humano. Mas o Senhor que pode fazer tudo sozinho, quer nossa colaboração, quer fazer-nos partícipes de sua obra salvífica. Nesse próprio ato de pedir nossa colaboração já está a redenção. 

O Senhor nos trata como pessoas maduras, capazes, pessoas criadas à Sua imagem e semelhança. Por isso não é próprio do fiel ficar de braços cruzados, desanimado e acomodado. Aquele que crê levanta a cabeça, solta os braços e busca dentro de si a força do Senhor, e imediatamente começa a colaborar com o Criador. O fiel reage contra qualquer ação oriunda da cultura de morte. Ele crê na Vida! Assim aconteceu com a escravidão no Egito, em outras situações onde os protagonistas foram os pobres, os marginalizados, os portadores de deficiência, os pequenos segundo o mundo. Assim fez Jesus Cristo, colocando-se como servo de todos, à disposição do Pai para assegurar a felicidade eterna ao Homem. 

No Evangelho deste domingo, temos em primeiro lugar a dificuldade de João Batista em reconhecer em Jesus o Messias prometido. Na pregação de João Batista, como vimos no domingo passado, Jesus deveria tratar os pecadores com bastante dureza, destruí-los até. Mas ele não o faz, ao contrário, provoca mudanças em seus corações, possibilitando a salvação, faz refeições com eles e até se torna amigo deles. Isso desorienta o Batista.

Quando interrogado pelos discípulos de João, Jesus responde citando Isaías, ou seja, dizendo que sua missão é de redenção, por isso os sinais que faz são de salvação. Deus ama a todos, bons e maus. Todos são seus filhos, foram criados por amor.

Em segundo lugar, Jesus elogia a pessoa do Batista dizendo que ele é mais que um Profeta, o maior entre os nascidos de mulher – dirá o Mestre. Ao dizer que “O menor no Reino dos céus é maior do que o Batista”, Jesus afirma que esse menor entendeu que Deus vem ao encontro do Homem para perdoá-lo, acolhê-lo e amá-lo. Menor e maior. Sem depreciar em nada a figura de João Batista Batista, já que os tempos do Reino transcendem inteiramente aqueles que os precederam e prepararam, essas duas palavras opõem duas épocas da obra divina, duas “economias”, conforme nos esclarece a Bíblia de Jerusalém.

Finalmente, na 2ª leitura, São Tiago nos exorta a que fiquemos firmes até e chegada do Senhor. Firme para Tiago significa manter a fé, a esperança e a caridade. Por isso, ele toma como exemplo o agricultor que trabalha e depois fica à espera do fruto prometido e nos aconselha a não nos queixarmos dos irmãos.

Pe. Cesar Augusto dos Santos, S.J.

sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

13 DE DEZEMBRO: SANTA LUZIA, VIRGEM

Neste dia 13 de dezembro, a liturgia da Igreja recorda a memória de Santa Luzia, e a Comunidade Eclesial de Base "Santa Luzia", do Bairro Vila Rica, comemora sua padroeira com procissão e Celebração Eucarística, às 19:00 horas, presidida pelo pároco Frei Domingos Sérgio Gusson, O.A.R. e, em seguida barraquinhas no pátio da capela.

HISTÓRIA DE SANTA LUZIA

Santa Luzia nasceu na cidade de Siracusa – Itália no ano 283 d. C.
Seu pai, de nome desconhecido, morreu quando Luzia era pequena. Sua mãe — Eutíquia — era uma mulher de família cristã, nobre, abastada e possuidora de muitos latifúndios.
Luzia foi criada dentro dos sentimentos de piedade e da religião. Recebeu uma primorosa educação cristã de modo que se sentiu dominada pelo amor a Cristo emitindo, desde cedo, o voto de perpétua virgindade. Guardou absoluto segredo deste voto até mesmo para sua mãe.
Eutíquia desejava que Luzia contraísse matrimônio com um jovem de distinta família, mas pagão. Na sua perplexidade, Luzia pediu a sua mãe que lhe concedesse um certo prazo para melhor amadurecer sua solução de castidade pela oração.
Neste tempo, Eutíquia adoeceu de um mal terrível sem que houvesse esperança de recuperar a saúde, apesar de ter gasto muito com os melhores médicos da Itália.
Luzia, muito carinhosa com sua mãe e sofrendo no íntimo a doença dela, convidou-a a ir para cidade de Catânia — Itália, para rezar junto ao túmulo de Santa Águeda, santa famosa em operar curas e milagres.
Depois de ter passado algum tempo em oração, Luzia teve uma visão: Apareceu-lhe a Mártir Águeda dizendo:
Que deseja de mim, querida irmã? Tua mãe está restabelecida graças a tua fé. Como Deus se dignou glorificar a cidade de Catânia por causa do meu martírio, assim Siracusa será celebre por ti, porque, por tua virgindade, preparaste agradável morada a Deus em teu coração.
Voltando para Siracusa com a mãe completamente curada, recebe novamente a proposta de casamento. Luzia fez este pedido a sua mãe:
Mamãe, agora que Santa Águeda te restituiu a saúde, peço-te que me concedas entregar-me toda e com inteira liberdade ao amor de meu Divino Esposo: Jesus Cristo.
Sua mãe permitiu, e, a partir deste momento, as duas começaram a trabalhar juntas pelos pobres e necessitados.
Prevendo uma vingança e o martírio, Luzia distribuiu seus bens aos pobres e, com oração fervorosa, se preparou para o que lhe acontecesse.
O jovem que nutria a esperança de casar com Luzia, tendo a notícia da obstinada recusa e do gesto em favor dos pobres, transformou o amor em ódio e denunciou-a perante o Governador Pascásio, de dois crimes: de não ter cumprido a palavra e de ser cristã, e, portanto, desprezadora dos deuses nacionais.
Luzia foi incursa nas leis que mandavam punir rigorosamente os seguidores do Novo Evangelho, pois, neste tempo estava havendo perseguição do Imperador Diocleciano aos cristãos.
Luzia foi conduzida ao tribunal do Governador Pascásio. O Juiz procurou seduzi-la e convencê-la de que devia se sacrificar aos deuses e manter a palavra do casamento.
Luzia respondeu ao Juiz:
Nem uma e nem outra coisa farei. Adoro a um só Deus Verdadeiro, e a Ele prometi amor e fidelidade.
O Juiz continuou com ameaças, intimidações, inclusive de ser levada a uma casa de prostituição para ser desvirginada.
Luzia respondeu:
Quem vive casta e santamente é templo do Espírito Santo. Sem a minha vontade, a virtude nada sofrerá. Podes, a força, por incenso nas minhas mãos para que o ofereça aos ídolos? De nada vale porque Deus, que conhece os corações, não me julgará pelo o que fiz coagida. Mesmo que não possa resistir a força, minha virtude receberá dupla coroa.
Luzia previu que estava próximo o fim das perseguições, como de fato aconteceu logo depois de sua morte.
Deus a preservou de maneira miraculosa tornando-se presa na terra a fim de que nenhuma força humana a removesse do local.
Furioso com o acontecido, o Governador Pascásio mandou que ela fosse queimada após ser envolvida com piche e resinas inflamáveis.
Mesmo assim, Luzia não morreu. O Governador Pascásio envergonhado, mandou que ela fosse torturada e ferida a ferro frio.
Depois disso, os amigos cristãos de Luzia a levaram para casa, e ela, assistida piedosamente em sua agonia, expirou entregando o seu espírito ao Divino Esposo, depois de ser confortada pela Sagrada Comunhão aos 13 de dezembro de 304 d.C.
Seus restos mortais foram guardados em Siracusa com grande devoção dos fiéis, depois foram transportados para Constantinopla com as devidas honras, e, por fim levados para Veneza, onde até hoje são piedosamente venerados.
As preciosas relíquias de seu corpo foram transferidas de Siracusa para Espoleto — Itália, depois para Abadia de São Vicente de Metz, onde se tornou a Igreja por excelência de Santa Luzia, centro de sua devoção.
Em escavações no Cemitério cristão de Siracusa, no século IV, foi encontrado um Epitáfio nestes termos:
“Eutíquia, a irrepreensível, viveu santa e pura cerca de quinze anos; morreu na festa de Santa Luzia, a qual não pode ser louvada como merece.”
O culto a Santa Luzia se espalhou por toda a Itália e mais tarde por toda a Europa e outros continentes. Só em Roma havia vinte igrejas dedicadas à Santa Luzia.
Ela foi uma das quatro virgens, junto com as Santas Inês, Cecília e Águeda, que gozavam de ofício próprio e cujos nomes tiveram o privilégio de serem invocados no Cânon da Santa Missa.
Santa Luzia é invocada como protetora contra as doenças dos olhos. Provavelmente, esta conexão se deve ao fato de que o nome de Luzia, em latim, se liga à palavra LUZ. Os olhos são elementos indispensáveis para a visão da luz.