sábado, 30 de novembro de 2013

REFLEXÃO PARA O 1º DOMINGO DO ADVENTO


Cidade do Vaticano (RV) - Iniciamos um novo ano litúrgico e, com ele, nova oportunidade para colocarmos nossa vida de acordo com a mensagem cristã extraída da Sagrada Escritura.

O Evangelho de hoje nos fala da segunda vinda de Jesus. O tempo do Advento, que ora iniciamos, tem o objetivo de nos preparar para essa segunda vinda. É verdade que tudo nos leva a nos preparamos para o Natal, mas a liturgia deseja, de modo especial, nos preparar para o encontro definitivo com Cristo, cuja celebração natalina também tem idêntico objetivo.

No Evangelho, Jesus nos diz que é no dia a dia que Deus vem ao nosso encontro, como aconteceu na época de Noé. Apesar de se comentar que aquele tempo chegava ao seu fim, nem todos acreditavam e até zombavam dos que levaram a notícia a sério.

Também nós estamos em um mundo onde as coisas terminam, até o ser humano se extingue! Portanto estamos em um mundo que tem seu fim e para tal deveremos nos preparar. Se meus antepassados já não mais existem, se pessoas que eu conheci já não mais estão sobre a terra, devo me preparar porque minha hora, meu momento vai chegar. Essa preparação não deve ser de modo estático ou trágico como algumas pessoas pensam, mas de modo dinâmico, dentro da vida diária, sem se fazer nada de especial, apenas praticando os ensinamentos do Senhor, amando a Deus e ao próximo. Nosso fim, nossa morte é certa e inevitável. Da morte ninguém escapa, é uma certeza! Apenas não sabemos quando e nem como.

Por isso é importante que estejamos preparados para esse momento que eternizará nossa existência.

Lembro-me de uma brincadeira de criança chamada “brincar de estátua”. As crianças estão pulando, dançando, fazendo qualquer coisa e aí o coleguinha grita “estátua” e todos deverão permanecer paralisados, como estavam quando ouviram o grito “estátua”. Também assim será o momento do encontro com Deus. Quando o Senhor nos chamar, quando disser “estátua”, não haverá possibilidade alguma de mudança, mas nos apresentaremos a Ele como fomos encontrados. Portanto aquele ditado que diz “Para onde a árvore pende, para lá cairá”, é uma grande verdade.

Aquele será o dia da nossa realidade, quando não mais poderemos mudar de coisas. Ao preencher a última página no livro de nossa existência, tudo estará consumado. Tudo estará nas mãos de Deus.

Portanto, vivamos de modo feliz, alegre, fazendo o que o Senhor nos pediu, sem outra preocupação a não ser amar e servir. 

Nossa vida, nossa saúde, nossos dons e bens, intelectuais, espirituais e materiais deverão ser colocados à disposição de Deus, ou seja, das pessoas que Ele colocou em nossa vida, para que sejam felizes, para que O conheçam e O amem. Isso será eternizado quando chegar ao fim nossa participação neste mundo. Não sirvamos de nossa vida e dos bens que possuímos para nossa própria ruína. Deus nos criou livres e assim nos deixa viver. Sejamos responsáveis!

Poderíamos nos perguntar: Meu marido, minha mulher, meu filho, minha filha, meu pai, minha mãe, meu irmão, minha irmã, meu amigo, minha amiga, meu companheiro, minha companheira, enfim essas pessoas que Deus colocou por um tempo em minha vida, se tornaram mais felizes porque conviveram comigo ou minha presença foi ocasião de desilusão e fracasso? Aí já está o nosso juízo. Minha vida valeu? Ainda há tempo! Estamos vivos! Poderemos mudar!

Pe. Cesar Augusto dos Santos, SJ

Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/11/29/reflex%C3%A3o_para_o_1%C2%BA_domingo_do_advento_/bra-751185 do site da Rádio Vaticano 

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

PAPA FRANCISCO: 2015, ANO DEDICADO À VIDA CONSAGRADA


Cidade do Vaticano (RV) - O Papa Francisco encontrou-se na manhã desta sexta-feira, no Vaticano, com os participantes da 82ª Assembleia Geral da União dos Superiores Gerais (USG), realizada nesses dias, em Roma. 

Tratou-se de um encontro de três horas em que o pontífice não proferiu um discurso preparado, mas respondeu às perguntas que lhe foram feitas. No final do encontro, onde estavam presentes 120 superiores gerais, o Papa Francisco anunciou que 2015 será o ano dedicado à vida consagrada.

O Santo Padre observou que os religiosos são chamados a seguir o Senhor de forma especial. "Eles são homens e mulheres que podem despertar o mundo. A vida consagrada é profecia", disse o pontífice. "Deus nos pede para sair do ninho e ir para as fronteiras do mundo, evitando a tentação de domá-las. Esta é a maneira mais concreta de imitar o Senhor", frisou Francisco. 

Questionado sobre a situação das vocações, o Papa destacou que existem Igrejas jovens que estão dando novos frutos. "Isso obriga naturalmente a repensar a inculturação do carisma. A Igreja deve pedir perdão e olhar com vergonha para os insucessos apostólicos devido a desentendimentos neste campo, como no caso de Matteo Ricci. O diálogo intercultural deve nos levar a introduzir no governo dos Institutos religiosos pessoas de várias culturas que expressam diferentes maneiras de viver o carisma", sublinhou ainda o Papa Francisco.

O Santo Padre insistiu muito na formação que, a seu ver, se baseia em quatro pilares: formação espiritual, intelectual, comunitária e apostólica. "É importante evitar todas as formas de hipocrisia e clericalismo através de um diálogo franco e aberto sobre todos os aspectos da vida", destacou. 

"A formação é uma obra artesanal e não policial. O objetivo é formar religiosos que tenham um coração tenro e não azedo como o vinagre. Somos todos pecadores, mas não corruptos. Aceitamos os pecadores, mas não os corruptos", sublinhou o pontífice.

Respondendo a uma pergunta sobre a fraternidade, o Papa disse que ela tem uma enorme força de atração. "Pressupõe a aceitação das diferenças e conflitos. Às vezes é difícil vivê-la, mas se não a vivemos, não somos fecundos", disse.

O Santo Padre frisou que as realidades de exclusão são prioridades e se deteve sobre os desafios culturais e educacionais nas escolas e universidades. O Papa identificou três pilares da educação: transmitir conhecimento, transmitir formas de fazer as coisas e transmitir valores. "Através deles se transmite a fé. O educador deve estar à altura das pessoas que educa e se perguntar como anunciar Jesus Cristo a uma geração que muda."

Concluindo, o Papa disse aos religiosos: "Obrigado pelo testemunho e humilhações pelas quais devem passar". (MJ)

29 DE NOVEMBRO: BEATO FREDERICO DE RATISBONA, RELIGIOSO

Nasceu em Ratisbona, onde morreu a 29 de novembro de 1329. Entrou na Ordem como irmão não clérigo. Seus biógrafos ressaltam sua generosa obediência, sua delicadeza para com os irmãos, sua caridade para com os pobres e seu amor à Eucaristia. Seus restos repousam na igreja agostiniana de Ratisbona. São Pio X confirmou seu culto em 1909.

Fonte: htpp//:www.agustinosrecoletos.com/saints/index#sthash.PJVFEKm9.dpuf

PARABÉNS FREI LEOPOLDO!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos aponta neste dia 29 de novembro de 2013 o 16º aniversário de ordenação presbiteral de Frei Antônio Leopoldo Sarroche Filho, O.A.R., e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação irmana-se com toda a Ordem, neste dia festivo, e roga a Deus que o cumule de ricas bênçãos de saúde, paz e sabedoria.

Frei Antônio Leopoldo Sarroche Filho, atualmente, é o pároco da Paróquia Santa Rita de Cássia, na cidade de Igarapava (SP) e já atuou no estado do Espírito Santo como vigário paroquial das Paróquias São João Batista (Muqui) e Nossa Senhora da Consolação (Cachoeiro de Itapemirim).

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

VIVA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS!

A Comunidade Eclesial de Base Nossa Senhora das Graças, localizada no Bairro Guandu, em Cachoeiro de Itapemirim (ES), neste dia 27 de novembro, comemora sua padroeira Nossa Senhora das Graças, após a novena celebrada com muito carinho em preparação a este dia, hoje, às 19h30 acontecerá a Celebração Eucarística, presidida pelo vigário paroquial Frei Enéas Berili, O.A.R., antes por volta das 18h30 acontecerá a procissão em louvor a Nossa Senhora das Graças.

A Capela de Nossa Senhora das Graças, está situada na Avenida Beira-Rio, logo após o Batalhão do Corpo de Bombeiros, no Bairro Guandu.

Venha participar dessa celebração cheia de graças para você e sua família!

terça-feira, 26 de novembro de 2013

ESTILO CORDIAL E DIRETO, PARA CONVIDAR OS FIÉIS A UMA NOVA ETAPA EVANGELIZADORA: SÍNTESE DA EXORTAÇÃO APOSTÓLICA DE FRANCISCO


Cidade do Vaticano (RV) – A Exortação Apostólica “Evangelii Gaudium”, do Papa Francisco, foi apresentada esta manhã na Sala de Imprensa da Santa Sé.

Participam da coletiva de imprensa o Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, Dom Rino Fisichella, o Secretário-Geral do Sínodo dos Bispos, Dom Lorenzo Baldisseri, e o Presidente do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais, Dom Claudio Maria Celli.

O documento do Pontífice nasce da XIII Assembleia Geral Ordinária do Sínodo dos Bispos sobre “A nova evangelização para a transmissão da fé cristã”, de 2012.

O Papa Francisco reelabora o que emergiu desse Sínodo de modo pessoal, escrevendo um documento programático e exortativo, utilizando a forma de “Exortação Apostólica”. Como tal, tem estilo e linguagem próprios: coloquial e direto, como manifestou Francisco em seus meses de pontificado.

A missionariedade é o coração do texto, em que o Papa convida todos os fiéis cristãos a uma nova etapa evangelizadora, caracterizada pela alegria.

Trata-se de cinco capítulos: “A transformação missionária da Igreja”, “Na crise do compromisso comunitário”, “O anúncio do Evangelho”, “A dimensão social da evangelização” e “Evangelizadores com espírito”.

“O que mantém unido todas essas temáticas é o amor misericordioso de Deus, que vai ao encontro de cada pessoa”, afirmou Dom Rino Fisichella.

Para ele, o que o Papa nos indica, no fundo, “é a Igreja que se faz companheira de percurso dos nossos contemporâneos na busca de Deus e no desejo de vê-lo”.

Por sua vez, Dom Baldisseri destacou o caráter universal do documento, elaborado a partir dos estímulos pastorais provenientes de várias Igrejas locais. “A esta experiência, deve-se o amplo espaço dedicado à religiosidade popular na América Latina – uma verdadeira espiritualidade encarnada na cultura dos mais simples”, acrescentou o Arcebispo.

Dom Claudio Maria Celli analisou a maneira de como a mensagem do Evangelho é anunciada, ressaltando que hoje Francisco nos pede “coragem” para encontrar novos sinais, novos símbolos, uma nova carne para a transmissão da Palavra.


domingo, 24 de novembro de 2013

RELÍQUIAS DE SÃO PEDRO, APÓSTOLO

Antes do início da Celebração Eucarística que marcou a conclusão do Ano da Fé, neste domingo, 24/11/2013, na Praça de São Pedro, no Vaticano, foram mostradas pela primeira vez os fragmentos dos ossos de São Pedro, apóstolo, para veneração pública de todos os presentes à praça e aqueles que acompanharam pela televisão.

Relíquias de São Pedro, apóstolo

REFLEXÕES DA ASSEMBLEIA PASTORAL PAROQUIAL

Aconteceu no último sábado, dia 23/11/2013, na salão da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Consolação a Assembleia Paroquial de Pastoral, na qual estiveram reunidos os coordenadores dos conselhos comunitários de pastoral e seus membros, coordenadores paroquiais de pastoral, coordenadores dos movimentos paroquial, secretárias paroquial, diácono permanente, vigários paroquiais e o pároco para refletirem sobre a caminhada da Igreja e foram apresentadas três falas importantes: 1ª A questão da importância da Missão na Igreja, fala proferida pelo pároco Frei Domingos Sérgio Gusson, O.A.R.; 2ª A importância de cada pastoral inseridas nas comunidades nesse processo de missão e 3ª A importância da Liturgia na Igreja, fala proferida por Marly.

Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao





ENCONTRO DA JUVENTUDE AGOSTINIANA RECOLETA - SETOR ESPÍRITO SANTO

No próximo sábado, dia 30 de novembro de 2013, acontecerá no salão da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Consolação, cidade de Cachoeiro de Itapemirim, a partir das 14h, o Encontro da Juventude Agostiniana Recoleta (J.A.R.) do setor Espírito Santo, que compreende as paróquias administradas pela Ordem dos Agostinianos Recoletos: Paróquia Nossa Senhora da Consolação (Cachoeiro de Itapemirim), Paróquia Nossa Senhora da Penha (Castelo), Paróquia São João Batista (Muqui) e Paróquia Santa Rita de Cássia (Vitória).

Os jovens das paróquias agostinianas recoletas são convidados a participar desse momento de amizade e fraternidade.


PARABÉNS FREI JOÃO!

Neste dia 24 de novembro de 2013, a Igreja Católica, Apostólica, Romana tem vários motivos para render solenemente graças a Deus, pois trata-se do dia da Solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo, consequentemente, o último domingo do tempo litúrgico, uma vez que no próximo domingo inicia-se um novo ciclo litúrgico com o 1º domingo do advento (ano A); o encerramento do Ano da Fé; a ordenação diaconal de quatro frades agostinianos recoletos: Frei Clébson, Frei Sérgio, Frei Rodolfo e Frei Ricardo e o aniversário de ordenação presbiteral de Frei João Constantino Junqueira Neto, O.A.R., que nesta data comemora 56 anos de sua ordenação de sacerdote.

A Paróquia Nossa Senhora da Consolação une-se a toda Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos que neste dia comemora os 56 anos de aniversário da ordenação presbiteral de Frei João Constantino Junqueira Neto, O.A.R. e na ordenação diaconal de Frei Clébson, Frei Sérgio, Frei Rodolfo e Frei Ricardo e roga a Deus que os abençoe de ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

Frei João Constantino Junqueira Neto, O.A.R., atualmente, reside na cidade de Cachoeiro de Itapemirim (ES) e atua como vigário paroquial da Paróquia Nossa Senhora da Consolação.

"CRISTO: CENTRO DA CRIAÇÃO, DO POVO E DA HISTÓRIA". O PAPA ENCERRA O ANO DA FÉ


Cidade do Vaticano (RV) – O Ano da Fé, convocado por Bento XVI e aberto em 11 de outubro de 2012, cinquenta anos após o Concílio Vaticano II e vinte após o Catecismo da Igreja Católica, chegou ao fim neste domingo, 24, com a missa de encerramento celebrada às 10h30 (locais) por Papa Francisco, na Praça São Pedro. 

Os fiéis presentes foram premiados com uma manhã sem chuvas, apesar de fria. A cidade de Roma e todo o centro da Itália têm sido atingidos por mau-tempo há vários dias. Além das dezenas de milhares de fiéis, 1.200 patriarcas e arcebispos das Igrejas católicas de rito e tradição oriental, além de cardeais, bispos e sacerdotes participaram da cerimônia, que teve caráter solene. 

Papa Francisco começou sua homilia justamente recordando que neste domingo, em que a Igreja também celebra a solenidade de Cristo Rei do universo, um pensamento cheio de carinho e gratidão deve ser dirigido ao Papa emérito: “Com a iniciativa do Ano da Fé, Bento XVI nos ofereceu a oportunidade de redescobrirmos a beleza do caminho de fé que teve início no dia do nosso Batismo e nos tornou filhos de Deus e irmãos na Igreja”. 

Aos representantes das Igrejas Orientais Católicas, Francisco manifestou reconhecimento por confessarem o nome de Cristo com tanta fidelidade, “paga muitas vezes por caro preço”, e idealmente, quis “alcançar todos os cristãos que vivem na Terra Santa, na Síria e em todo o Oriente, a fim de obter para todos o dom da paz e da concórdia”.

“Jesus é o centro da criação”, disse o Papa comentando a segunda leitura. “Assim sendo, a atitude que se requer do crente – se o quer ser de verdade - é reconhecer e aceitar na vida esta centralidade de Jesus Cristo, nos pensamentos, nas palavras e nas obras. Quando se perde este centro, substituindo-o por outra coisa qualquer, disso só derivam danos para o meio ambiente que nos rodeia e para o próprio homem”. 

A primeira Leitura, por sua vez, mostrou que além de ser centro da criação, Cristo é centro do povo de Deus. Descendente do rei David, é o «irmão» ao redor do qual se constitui o povo, que cuida do seu povo, de todos nós, a preço da sua vida. “Nele, nós somos um só; unidos a Ele, partilhamos um só caminho, um único destino”, lembrou o Bispo de Roma.

Por fim, Cristo é o centro da história da humanidade e de cada homem: “A Ele podemos referir as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias de que está tecida a nossa vida. Quando Jesus está no centro, até os momentos mais sombrios da nossa existência se iluminam: Ele dá-nos esperança, como fez com o bom ladrão no Evangelho deste domingo”. 

Lucas narra que enquanto todos os outros menosprezavam Jesus, um homem que errou na vida, mas que estava arrependido, se agarrou a Jesus e lhe suplicou que se lembrasse dele. Jesus pronuncia apenas a palavra do perdão, não a da condenação; e quando o homem encontrou a coragem de pedir o perdão, o Senhor não deixou sem resposta seu pedido.

A promessa de Jesus ao bom ladrão nos dá uma grande esperança”, garantiu Francisco: “Ela diz que a graça de Deus é sempre mais abundante de quanto pedira a oração. Peçamos ao Senhor que Se lembre de nós, certos de que, pela sua misericórdia, poderemos partilhar a sua glória no Paraíso”, concluiu o Papa.

Por decisão do Papa, antes do início da missa conclusiva do Ano da Fé, foi efetuada na Praça São Pedro uma coleta a ser destinada à população das Filipinas, recentemente atingida por uma grave calamidade natural. 

ASSINADA A "ALEGRIA DO EVANGELHO", PRIMEIRA EXORTAÇÃO DE FRANCISCO


Cidade do Vaticano (RV) - Na missa conclusiva do Ano da Fé, domingo, 24, Francisco fez a entrega simbólica de sua primeira Exortação Apostólica, ‘Evangelii gaudium’ (A Alegria do Evangelho).

De forma simbólica, o texto foi entregue 36 pessoas de 18 países: um bispo, um sacerdote e um diácono; além de religiosas, seminaristas, catequistas, uma família, um homem com deficiência visual (que recebeu uma versão em CD), jovens, confrarias e movimentos eclesiais. O grupo foi escolhido para evocar cada evento do Ano da Fé realizado no Vaticano.

Além destes representantes, foram também convidados dois jornalistas e dois artistas, para evidenciar “o valor da beleza como forma privilegiada de evangelização”.

A "Evangelii Gaudium", segundo o Presidente do Pontifício Conselho para a Nova Evangelização, Dom Rino Fisichella, contém “uma missão que é confiada a cada pessoa batizada para se tornar evangelizador”. 

Depois da Encíclica "Lumen Fidei", publicada no início de julho, assinada por Francisco, mas escrita a ‘quatro mãos’ com Bento XVI, este é o segundo grande documento do Papa argentino.

A Exortação traz as recomendações emersas no Sínodo dos Bispos sobre a Nova Evangelização, realizado no Vaticano em outubro do ano passado, mas segundo antecipado pelo Vaticano, “terá um âmbito mais vasto”. O documento será apresentado segunda-feira, 25, à imprensa, mas a divulgação está autorizada somente a partir de terça-feira, 26 de novembro. 

PAPA ABENÇOA RELÍQUIAS DE SÃO PEDRO


Cidade do Vaticano (RV) – Durante a missa de encerramento do Ano da Fé, após a leitura do Evangelho e a homilia, foi levado ao Papa o relicário que contém alguns fragmentos ósseos do Apóstolo Pedro, expostas publicamente neste domingo, 24, pela primeira vez. O Papa reteve a pequena caixa de bronze por alguns minutos, num gesto de recolhimento e oração. 


Antes da cerimônia, o relicário foi levado em procissão ao adro e deposto, fechado, no pedestal junto ao altar. No início da missa, foi aberto e enquadrado pelas câmeras de TV, sendo possível ao público ver os oito fragmentos através dos telões espalhados na Praça. Neste momento, o Papa se dirigiu ao altar e abençoou as relíquias.

A pequena caixa em bronze de cerca de 30x10 cm tem a inscrição em latim “Ex ossibus quae in Arcibasilicae Vaticanae hypogeo inventa Beati Petri Apostoli esse putantur” (Dos ossos vindos do hipogeu da Basílica do Vaticano, considerados do beato apóstolo Pedro). Oferecida a Paulo VI em 1971, permanece desde então na capela do apartamento papal do Palácio Apostólico do Vaticano.

sábado, 23 de novembro de 2013

REFLEXÃO PARA SOLENIDADE DE JESUS CRISTO REI DO UNIVERSO


Rádio Vaticano - (RV) - A primeira leitura nos fala da proclamação de Davi como rei de Israel. Mas por que ele foi feito rei? Qual sua autoridade? Ao governar a tribo de Judá, Davi mostrou sua grandeza. Agora as tribos de Israel querem seu governo. Isso nos mostra que, por detrás de um povo unido está a lucidez e o temor de Deus de um grande líder. A autoridade de Davi estava no estabelecimento da justiça, da paz, da segurança e pela convivência com os diferentes.

Neste domingo celebramos Jesus Cristo, Rei do Universo. Como será, como é a realeza de Cristo? Como a de Davi? Com essa autoridade? Sim e muito mais. Davi foi um leve sinal do Rei Jesus Cristo. O Evangelho nos fala que Cristo não só reuniu o Povo de Deus disperso, mas veio salvar o que estava perdido, isto é, convertendo os corações ao Pai, mostrando que ele é um rei que reina nos corações das pessoas, que essa é sua verdadeira vitória, que ele é o rei do amor, da paz, da vida!

A cena do Calvário, onde sobre a cabeça de Jesus, pregado na cruz, está também pregado nela uma taboazinha onde se lê: Jesus Nazareno, Rei dos Judeus, nos mostra alguns diálogos entre o Senhor e dois bandidos. Sim, o Senhor, rei do Universo está sendo supliciado como um bandido, no meio de bandidos, por pessoas que se diziam cumpridoras da justiça.

Para um dos malfeitores, Jesus é um derrotado e incapaz de realizar o maior desejo deles, escapar daquele suplício. Para o outro, não. Em meio a tantas desilusões, decepções e desesperanças surge um sentimento de esperança. Crê no poder de Jesus. Não olha para seu passado de crimes, de pecados e nem se deixa impressionar pela fragilidade de seu ilustre companheiro de sorte. Ao contrário, é o único a reconhecer-se pecador e a professar sua fé em Jesus. “Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu reino”. Ele não pede perdão, não procura justificativas, mas confessa-se pecador e professa sua fé no poder amoroso do Rei Jesus. Na nossa vida, o importante não é ficarmos olhando para o nosso passado, para o que fizemos, mas reconhecermo-nos pecadores e cremos na misericórdia e no poder de Jesus. Isso basta!

Por seu lado, Jesus age como agiu o pai do “filho pródigo”. Imediatamente o Senhor, sem palavras de correção e, muito menos de condenação, diz: “...ainda hoje estarás comigo no Paraíso”. Ele não deixa seus súditos passarem vergonha!

Ele nos amou e continua nos amando. É o rei do amor! Como cidadãos do Reino de Cristo somos levados a viver no Amor. Como nos dizem as Sagradas Escrituras, o amor de Cristo nos impele a que nos amemos uns aos outros, como o Senhor nos amou.

Vivamos como cidadãos do Reino de Cristo, praticando a justiça, o amor, a paz e o perdão.

Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/11/22/solenidade_de_cristo_rei_do_universo/bra-749201 do site da Rádio Vaticano 

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

ASSEMBLEIA PAROQUIAL DE PASTORAL

No próximo dia 23 de novembro de 2013, sábado, a partir das 14h00, acontece no salão da Igreja Matriz de Nossa Senhora da Consolação a ASSEMBLEIA PAROQUIAL DE PASTORAL, portanto a presença de todos os coordenadores de pastorais paroquial, coordenadores dos conselhos comunitários de pastoral, coordenadores dos movimentos paroquiais, secretárias paroquial, diáconos permanentes, vigários paroquial e o pároco é de suma importância.

CAMPANHA PARA REFORMA POLÍTICA

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) iniciou a Campanha de Conscientização para a Reforma Política, com a coleta de assinaturas que serão enviadas ao Congresso Nacional para um Projeto de Lei de iniciativa popular, visando a Reforma Política.

No último dia 19 de novembro de 2013, na cidade de Vitória (ES), durante a reunião do sub-regional das Dioceses da Província Eclesiástica do Espírito Santo (Vitória, Cachoeiro de Itapemirim, São Mateus e Colatina) assumiram a responsabilidade de realizar um trabalho de conscientização e coleta de assinaturas junto as paróquias, comunidades e sociedade em geral, para o Projeto de Lei visando a Reforma Política no Brasil. Estavam presentes nessa reunião os bispos e coordenadores de pastoral do estado.

O Arcebispo da Arquidiocese de Vitória do Espírito Santo - Dom Luiz Mancilha Vilela, ss.cc. e o Bispo Diocesano de Cachoeiro de Itapemirim - Dom Frei Dario Campos, O.F.M., deram o início a essa campanha no Estado do Espírito Santo.


ORDENAÇÃO DIACONAL

No dia em que a Igreja Católica, Apostólica, Romana celebrará a Solenidade de Jesus Cristo Rei do Universo, no próximo dia 24 de novembro, e, também o encerramento do Ano da Fé (aberto pelo Papa Emérito Bento XVI), a Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos ganhará 4 (quatro) diáconos transitórios e isso é graça de Deus para toda a Igreja.

A Paróquia Nossa Senhora da Consolação agradece a generosidade de Deus na vida do ordenados e deseja-lhes muitas felicidades nesse importante do serviço a Deus e aos irmãos.
Frei Ricardo, Frei Rodolfo, Frei Clébson e Frei Sérgio
(da esquerda para direita, o último é Frei Alcimar)


PARABÉNS FREI MASON!

Neste dia 21 de novembro de 2013 a Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos rende graças a Deus pelo quarto ano de aniversário de ordenação presbiteral de Frei José Roberto Mason, O.A.R., conhecido por Frei Mason, e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação também congratula-se com toda a Ordem neste dia festivo e roga ao Senhor que conceda a esse sacerdote muita saúde e sabedoria.

Frei José Roberto Mason, O.A.R., atualmente, é pároco da Paróquia São Januário, na Arquidiocese Metropolitana de São Sebastião do Rio de Janeiro, na cidade do Rio de Janeiro (RJ).

quarta-feira, 20 de novembro de 2013

PARABÉNS DOM JULIO ENDI AKAMINE!

O calendário da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos traz como data comemorativa a data de aniversário natalício de Dom Julio Endi Akamine, bispo auxiliar da Arquidiocese Metropolitana de São Paulo (Região Lapa), que celebra neste dia 20 de novembro, 51 (cinquenta e um) anos de idade, e a Paróquia Nossa Senhora da Consolação irmana-se com toda a Província e a Arquidiocese de São Paulo neste dia de ação de graças pela vida de Dom Julio, e roga a Deus que o abençoe com ricas bênçãos de saúde e sabedoria.

ÁRVORE DE NATAL QUE ORNAMENTARÁ A PRAÇA DE SÃO PEDRO VIRÁ DA BAVIERA


Waldmuenchen (RV) - Virá da Baviera, em particular de uma pequena cidade próxima à fronteira com a República Tcheca, a árvore de Natal destinada à Praça São Pedro. 

Segundo o Presidente do grupo Festpielverein Trenckfestspiele, Alois Frank, o abeto cresceu próximo ao local onde a Cortina de Ferro dividia a Europa. “Após a abertura das fronteiras ficamos no centro da Europa”, observou, acrescentando que “entregaremos uma árvore de Natal proveniente do centro da Europa ao centro do cristianismo”.

A última vez que a Alemanha ofereceu uma árvore de natal ao Papa foi em 1998. (JE)

COLETIVA DE IMPRENSA PARA A APRESENTAÇÃO DA EXORTAÇÃO APOSTÓLICA "EVANGELII GAUDIUM"


Cidade do Vaticano (RV) – Será apresentada na próxima terça-feira (26), às 11h30min, na Sala de Imprensa da Santa Sé, a Exortação Apostólica sobre o anúncio do Evangelho no mundo atual “Evangelii Gaudium”, de Sua Santidade o Papa Francisco.

Participarão do encontro com os jornalistas o Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Nova Evangelização, Arcebispo Rino Fisichella, o Secretário Geral do Sínodo dos Bispos, Dom Lorenzo Baldisseri e o Presidente do Pontifício Conselho das Comunicações Sociais Dom Claudio Maria Celli.

O Papa Francisco fará a entrega simbólica da Exortação Apostólica na Missa conclusiva do Ano da Fé, a ser celebrada no próximo domingo (24), na Praça São Pedro. (JE) 

terça-feira, 19 de novembro de 2013

"AVÓS, TESOURO PARA A SOCIEDADE": A HOMILIA DO PAPA


Cidade do Vaticano (RV) – “Um povo que não respeita os avós é um povo sem memória e consequentemente, sem futuro”. Este foi o ensinamento proposto pelo Papa Francisco na homilia da missa celebrada na manhã de terça-feira, 19, na Casa Santa Marta. 

O Papa comentou o episódio bíblico de Eleazar, o idoso que optou pelo martírio em coerência com sua fé em Deus e para dar um testemunho de retidão aos jovens. Diante da escolha entre a apostasia e a fidelidade, não teve dúvidas e pensou que seu gesto de coragem poderia ser um exemplo para os mais jovens:

Vivemos numa época em que os idosos não contam. É triste admitir, mas nós os ‘descartamos’ porque incomodam. Os idosos nos trazem a história, nos transmitem a doutrina, nos mostram a fé e a deixam como herança. Como um bom vinho envelhecido, têm uma força interior que nos propicia uma nobre herança”. 

Papa Francisco contou aos presentes que quando era pequeno ouviu a história de uma família de pai, mãe, filhos e um avô, que quanto tomava sopa, se sujava. Incomodado, o pai comprou uma mesinha para que o idoso passasse a comer sozinho. Ao voltar a casa, à noite, este pai encontrou seu filho construindo uma mesinha de madeira. O menino lhe explicou que ela serviria ao pai, para quando envelhecesse como o avô. 

Esta história sempre me fez tão bem, toda a vida. Os avós são um tesouro. A memória de nossos antepassados leva à imitação da fé. A velhice às vezes é feia por causa das doenças e de todo o resto, mas a sabedoria de nossos avós é a herança que recebemos. Um povo que não resguarda e não os respeita os avós não tem futuro porque perde a memória”. 

Enfim, o Papa Francisco recomendou que pensemos nos idosos e idosas que moram em casas de repouso e também nos muitos anciãos que foram abandonados por suas famílias. “Eles são um tesouro para nossa sociedade”, frisou, pedindo: 

Rezemos por nossos avós e avôs que muitas vezes tiveram um papel heróico na transmissão da fé em tempos de perseguição. Quando nossos pais não estavam em casa, ou tinham idéias estranhas como as que a política ensinava naquela época, foram as avós a nos transmitir a fé. O quarto mandamento, lembrou o Papa, é o único que promete algo em troca: é o mandamento da piedade. Peçamos hoje aos velhos Santos Simão, Ana, Policarpo e Eleazar a graça de proteger, escutar e venerar os nossos antepassados, nossos avós”.

segunda-feira, 18 de novembro de 2013

RETIRO VOCACIONAL O.A.R. EM FRANCA (SP)

Nos dias 15, 16 e 17 do mês de novembro aconteceu no Seminário Nossa Senhora Aparecida na cidade de Franca-SP o RETIRO VOCACIONAL O.A.R. - Ama et fac quod vis - (ama e faze o que quiseres).
O intuito do retiro vocacional O.A.R., mais uma vez foi buscar a convivência fraterna entre os irmãos. “Vinde e vede” (Jo 1,39), pois "inquieto está o nosso coração enquanto não descansar em vós Senhor.”
 
Participaram 17 jovens de várias partes do Brasil e 10 (dez) são candidatos a ingressarem no postulantado no próximo ano.

Oremos por nossos jovens para que eles possam responder com generosidade o chamado que Cristo os faz de seguí-lo pelos passos de Nosso Pai Santo Agostinho.
Frei Ricardo, OAR

Fonte: Blog da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos



ENCONTRO DA FRASAR - SETOR ESPÍRITO SANTO

No último dia 15 de novembro reuniram-se em Castelo-ES, com a assessoria de Frei Mário, os membros da FRASAR - Fraternidade Secular Agostiniana Recoleta - das cidades capixabas de Castelo, Cachoeiro de Itapemirim e Muqui. O Encontro aconteceu na “Fazenda do Centro”. Compartilhamos a fraternidade em um só coração e uma só alma, como nos ensina Nosso Pai Santo Agostinho.
Obrigado a todos que participaram e contribuíram para que este encontro pudesse acontecer. Deus lhe pague!
Frei Gracione Augusto Alves, OAR
Fonte: Blog da Província Santa Rita de Cássia da Ordem dos Agostinianos Recoletos


BASÍLICA DE SANTO AGOSTINHO RESTAURADA EM IPONA


Argel (RV) – A Basílica de Santo Agostinho de Annaba (antiga Ippona), na Argélia foi reinaugurada. Graças à contribuição de instituições de diversas nacionalidades, de organismos religiosos e de fiéis, os trabalhos de reestruturação do histórico templo foram concluídos, após três anos de trabalhos. Na inauguração, estavam presentes autoridades políticas – argelinas e de outros países -, Imames, benfeitores, cristãos e muçulmanos concordes em reconhecer no monumento dedicado a Santo Agostinho um patrimônio histórico, religioso e arquitetônico, onde o Oriente e o Ocidente se encontram. A Rádio Vaticano conversou com o Bispo da Diocese de Constantine, Dom Desfarges (que hoje engloba a de Ippona, que foi sede episcopal de Agostinho):


R: “Eu acredito que hoje os argelinos estejam mais orgulhosos de ter Santo Agostinho como seu antepassado. Santo Agostinho já faz parte da genealogia dos argelinos...”


RV: Um monumento cristão que foi beneficiado por contribuições de diversas instituições e por benfeitores muçulmanos. Que leitura fazer disto tudo?

R: “Para mim, este financiamento um pouco complexo é um sinal: é um belo exemplo de solidariedade, desta relação de convivência cristã-muçulmana que se estende de Norte a Sul e que manifestou-se até mesmo no aspecto financeiro”.

RV: Para os argelinos, a Basílica de Santo Agostinho, localizada sobre a colina de Annaba, é “Lala Bouna”, a boa mãe: qual é o sentido desta expressão?

R: “A Basílica encontra-se sobre uma colina e domina um pouco Annaba. Penso que naquele local eram celebrados cultos antes mesmo do cristianismo. Mas como se sabe, para muitos cristãos e também para muitos muçulmanos, no momento em que existe um Santuário em qualquer lugar, é “Lala”. Assim, alí passou a ser chamado “Lala Bouna”, que está para “a boa mãe”, mas também “Maria”, sem se fazer muitas perguntas, mas somente na consciência de que se trata de um Santuário. Além disto, é necessário acrescentar que ao lado da Basílica – antes mesmo que a Basílica fosse construída – existe a Casa das Pequenas Irmãs dos Pobres, que acolhe pessoas de famílias muito modestas ou pessoas sem família ou que verdadeiramente não tem nada do que viver. As Pequenas Irmãs acolhem estas pessoas desfavorecidas – mesmo muçulmanas – e os argelinos são muito generosos, fazem muitas doações. Assim, esta colina é conhecida pela presença do Santuário, pela casa das Pequenas Irmãs dos Pobres e também por um Presbitério dos Padres Agostinianos. É isto “Lala Bouna”. É verdadeiramente um local santo, um lugar de bênçãos. E é verdade que muitas das pessoas que vêm na Basílica fazem verdadeiramente uma experiência de silêncio, de graça. As pessoas vêm, sabem que vêm a um lugar santo, um lugar abençoado. Neste lugar foram concedidas graças. Assim, tudo isto junto é “Lala Bouna”. Espero que agora os peregrinos tenham coragem de voltar, em maior número, para realizar uma peregrinação nos passos de Santo Agostinho”.

RV: Como os argelinos vêem os primeiros meses do Pontificado do Papa Francisco?

R: “Têm uma ótima impressão. Veja, o nosso povo argelino está verdadeiramente em sintonia com o que acontece no mundo. Papa Francisco teve uma acolhida muito boa, cheia de simpatia. Quando caminho pela rua, as pessoas me dizem: ‘Ah, este Papa é muito bom!’. Escuto muitas expressões deste tipo. As suas palavras, os seus gestos tocam, tocam todos, tocam os corações: porque simplesmente são gestos humanos, fraternos. Papa Francisco é acolhido muito, muito bem; o seu testemunho contribui para a convivência”.

RV: O que diria Santo Agostinho hoje sobre a participação fraterna na restauração da ‘sua’ Basílica?

R: “Ah, alguma vezes já perguntei para ele! Acredito que nos diria o que dizia aos seus fiéis, no seu tempo: ‘Para nós, viver é amar. A nossa vida é alegria, é movida pelo coração de todos’. Penso que nos repetiria isto: ‘Continuem a amar. A relação fraterna não é somente uma relação homem-homem, é uma relação com Deus e em Deus’. E nos diria também: ‘O amor, quando vai até o fundo, não é somente o amor entre as pessoas que se aceitam, mas chega até o ponto de amar o inimigo’. Santo Agostinho dizia: ‘Aprenda a amar o teu inimigo: na medida em que o amor cresce em ti, reconduzindo-te à semelhança de Deus, isto se difundirá no teu inimigo, a fim que tu sejas semelhante Àquele que faz resplandecer o sol sobre bons e maus’. Isto dizia Santo Agostinho. E isto toca também os argelinos”. (JE)


EXERCÍCIOS ESPIRITUAIS PARA ORDENAÇÃO DIACONAL EM CLARAVAL (MG)

Iniciou-se no dia 12 de novembro e findou-se no dia 17 do mesmo mês o retiro espiritual dos frades: FREI RICARDO, FREI RODOLFO, FREI SÉRGIO E FREI CLÉBSON em preparação para ordenação diaconal que ocorrerá no próximo domingo (24-11-2013) às 10h30min na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, no Alto da Lapa, cidade de São Paulo (SP).
Nos três primeiros dias do retiro refletimos com a ajuda de Frei Hélton os SERMÕES DE NOSSO PAI SANTO AGOSTINHO SOBRE OS DIÁCONOS, propriamente, o de “SÃO LOURENÇO” e o de “SANTO ESTEVÃO”; refletimos ainda, sobre o “SERMÃO DOS PASTORES”  de autoria do Nosso Pai. 
Nos dois últimos dias com o auxílio de Frei Alcimar, refletimos sobre “A HISTÓRIA E FUNÇÃO DOS DIÁCONOS”, finalizando com as “DIRETRIZES PARA OS DIÁCONOS NA IGREJA DO BRASIL”.
Agradecemos a todos que indireta ou diretamente contribuíram para que esses exercícios espirituais pudessem ser realizados e, contamos com a presença de todos, no próximo domingo, em São Paulo, quando seremos, com a Graça de Deus, ordenados diáconos transitórios para o serviço dos irmãos.
 
Frei Ricardo, OAR    

PS: Mais fotos no endereço: www.facebook.com/paroquiadaconsolacao

Fonte: Blog da Província Santa Rita de Cássia
Frei Ricardo, Frei Rodolfo, Frei Clébson, Frei Sérgio e Frei Alcimar




domingo, 17 de novembro de 2013

PAPA NO ÂNGELUS: NÃO SE DEIXAR ARRASTAR E ENGANAR PELOS FALSOS PROFETAS


Cidade do Vaticano (RV) – Papa Francisco assomou, ao meio-dia, deste domingo (17), à janela da Residência Apostólica, no Vaticano, que dá para a Praça São Pedro, para rezar a oração mariana do Angelus, com os numerosos peregrinos e fiéis presentes.

Em sua alocução dominical, o Santo Padre partiu da Liturgia do dia, falando sobre a primeira parte de um discurso de Jesus, narrado no Evangelho, ou seja, sobre o fim dos tempos. 

Jesus pronunciou este discurso no Templo de Jerusalém, inspirando-se nas pessoas que comentavam sobre a grandeza e beleza daquele Templo. Então, Jesus disse: "Dias virão em que, tudo o que se vê agora, não ficará pedra sobre pedra". Naturalmente, os discípulos lhe perguntaram: quando isso vai acontecer? Quais serão os sinais? Mas, Jesus, disse o Papa, desvia a atenção destes aspectos secundários “quando acontecerá”, “como será”, para falar de questões mais sérias.

“Primeiro, não se deixar enganar pelos falsos messias e não se deixar paralisar pelo medo. Segundo, viver o tempo de espera como tempo de testemunho e de perseverança”.

Este discurso de Jesus, explicou o Pontífice, é sempre atual, sobretudo para nós, que vivemos no século XXI. De fato, Jesus nos repete: "Cuidado para não se deixar enganar. Muitos virão em meu nome". Eis um convite ao discernimento:

“Ainda hoje, na verdade, existem falsos "salvadores", que tentam substituir Jesus: líderes deste mundo, santarrões, personagens que querem atrair os corações e as mentes, especialmente os jovens. Mas, Jesus nos adverte: "Não os sigam”! 

O Senhor, acrescentou o Pontífice, nos ajuda a não termos medo diante das guerras, das revoluções, mas também das catástrofes naturais, das epidemias, pois nos livra do fatalismo e das falsas visões apocalípticas. E, explicando o segundo aspecto, ou seja, para viver o tempo de espera como tempo de testemunho e de perseverança, o Santo Padre disse:

“O segundo aspecto nos interpela, precisamente, como cristãos e como Igreja: Jesus preanuncia as provações dolorosas e as perseguições, pelas quais seus discípulos deveriam passar por sua causa. No entanto, ele nos assegura que estamos totalmente nas mãos de Deus!”.

Com efeito, precisou o Papa, as adversidades que encontramos, por causa da nossa fé e da nossa adesão ao Evangelho, são ocasiões de testemunho; elas não devem nos afastar do Senhor, pelo contrário, devem nos levar a nos abandonar ainda mais em suas mãos, no poder do seu Espírito e na sua graça. 

Aqui, o Bispo de Roma dirigiu seu pensamento aos numerosos irmãos e irmãs cristãos, que sofrem perseguições, por causa da sua fé, em várias partes do mundo. São tantos, disse, talvez bem mais que nos primeiros séculos do cristianismo. Por isso, convidou os presentes a admirarem sua coragem e testemunho e a permanecerem unidos a eles na oração e na solidariedade.

Neste sentido, o Pontífice recordou a promessa que Jesus nos faz, que é uma verdadeira garantia de vitória:

“Pela sua perseverança vocês salvarão suas vidas. Quanta esperança nestas palavras! Elas são um convite à esperança e à paciência, a sermos capazes de esperar os frutos seguros da salvação, confiantes no sentido profundo da vida e da história”.

De fato, afirmou o Pontífice, as provações e as dificuldades fazem parte de um desígnio bem maior, pois o Senhor, dono da história, leva tudo a seu cumprimento. Apesar das desordens e das calamidades que se abatem sobre o mundo, o designo da bondade e de misericórdia de Deus se cumprirá.

Papa Francisco concluiu sua alocução dominical, afirmando que esta mensagem de Jesus nos faz refletir sobre o nosso presente e nos dá a força para enfrentá-lo, com coragem e esperança, na companhia de Nossa Senhora, que sempre caminha conosco.

Ao término da sua reflexão, o Bispo de Roma passou a cumprimentar alguns grupos de peregrinos, provenientes de diversas localidades. Mas, antes, convidou a todos a levarem para casa uma caixinha, chamada “Misericordina”, contendo um Terço, uma espécie de caixinha de remédio, que alguns voluntários distribuíam, gratuitamente, na Praça São Pedro, no final do encontro mariano.

Por fim, o Papa se despediu dos fiéis, desejando a todos “bom domingo e bom apetite”, concedendo-lhes a sua Bênção Apostólica! (MT)

'MISERICORDINA', A RECEITA DO PAPA FRANCISCO


Cidade do Vaticano (RV) – Após a oração mariana do Angelus, o Papa Francisco saudou os peregrinos presentes provenientes de diversas partes da Itália e do mundo, mas em especial, a comunidade etíope que festeja São Miguel.

Após, recordou o “Dia das vítimas da estrada”, celebrado neste domingo, assegurando sua oração e “encorajando a prosseguir no empenho da prevenção”, ressaltando que “a prudência e o respeito às normas são a primeira forma de tutela de si mesmo e dos outros”.

Ao final do tradicional encontro dominical na Praça São Pedro, o Papa Francisco recomendou um “remédio espiritual” chamado “Misericordina” que seria distribuído por voluntários aos presentes, dizendo, em tom de brincadeira: “Alguém pode pensar: o Papa é um farmacêutico agora?”. 

A bem da verdade, este ‘remédio espiritual’ nada mais é do que uma pequena caixa lembrando uma caixa de remédio, contendo no seu interior uma imagem de Jesus da Misericórdia, um terço com as 59 contas, acompanhado de uma ‘bula’ com ‘prescrições’ e posologia, como por exemplo, procurar um local silencioso e ajoelhar-se diante de uma imagem de Jesus da Misericórdia onde está escrito “Jesus, eu confio em ti”. No verso da 'bula', algumas passagens do Diário de Madre Faustina kowalska.

O Papa observou que com aquele terço poderia ser rezado o Terço da Misericórdia, “ajuda espiritual para a nossa alma, para nossa vida e para divulgar em todo lugar o amor, o perdão e a fraternidade”. E insistiu: “Não esqueçam de pegá-la, porque faz bem, eh? Faz bem ao coração, à alma e para toda a vida”. 

A distribuição deste 'remédio espiritual' foi uma iniciativa do Elemosineiro Pontifício, Dom Konrad Krajawski, a partir de uma Idéia nascida na Polônia. Foram conficionados milhares de 'kits' em quatro línguas: italiano, espanhol, inglês e polonês. (JE)

Fonte: Texto proveniente da página http://pt.radiovaticana.va/news/2013/11/17/misericordina,_a_receita_do_papa_francisco/bra-747443 do site da Rádio Vaticano 

sábado, 16 de novembro de 2013

REFLEXÃO PARA O XXXIII DOMINGO DO TEMPO COMUM - ANO C


Cidade do Vaticano - (RV) - “Para vós, que temeis o meu nome, nascerá o sol de justiça, trazendo salvação em suas asas.”

Esta frase de Malaquias nos garante a vitória final em que, apesar de vermos o triunfo do mal, o bem será o triunfador.
Mas para que a justiça triunfe ainda neste mundo, será necessário que trabalhemos com fé, esperando uma sociedade nascida do trabalho daqueles que atuam em seu favor e da liberdade. Cada gesto, por menor que seja, mas que demonstre resistência ao mal e adesão ao bem das pessoas, é uma pequena vitória dos justos.

No Evangelho, temos uma página de estilo apocalíptico, isto é, uma linguagem aparentemente incompreensível, mas que fortifica a esperança na ação de Deus. 

É-nos proposta uma resistência inteligente que desmonta os sistemas que geram opressão e morte. Jesus fala da destruição do Templo de Jerusalém. O Templo representa a antiga aliança e como tudo que é antigo, também ele sofrerá destruição, não ficará pedra sobre pedra, mas os amados de Deus ficarão incólumes e nem um fio de cabelo de sua cabeça se perderá. O antigo será destruído, se perderá porque o novo será o eterno, mesmo que se desenvolva de modo discreto, simples, ele permanecerá.

Também nós enfrentamos dificuldades em nossa vida, em nosso dia a dia e ficamos muito tristes e preocupados porque perdemos coisas que foram duramente conquistadas e parecem desaparecer para sempre.
Nesse momento surge Jesus, a fé na vida, e nos diz que é necessário permanecer firmes, que será desse modo que ganharemos a vida.

Estamos no final do Ano Litúrgico. No próximo domingo celebraremos Cristo Rei do Universo. Tivemos mais um ano para crescer no conhecimento do amor de Deus, no aumento da fé, da esperança e da caridade. Neste momento poderemos fazer uma avaliação de como nos portamos face à Misericórdia de Deus, que nos deu mais um ano para crescermos na fé.
Deixamo-nos impressionar pelos eventos apocalípticos de em nossa vida? Ficamos assustados com as atitudes desconcertantes de algumas pessoas? Somos dependentes da aprovação das pessoas?

O Senhor nos manda permanecermos firmes, isto é, firmes na fé em suas palavras de esperança e de fé na vida!


Pe. César Augusto dos Santos SJ